PF enviará especialistas para ajudar na identificação das vítimas do voo da Chapecoense

PF enviará especialistas para ajudar na identificação das vítimas do voo da Chapecoense

Grupo é formado por papiloscopistas federais e tem 'larga experiência na identificação de vítimas'

Julia Affonso e Mateus Coutinho

29 de novembro de 2016 | 17h49

Acidente com avião que levava a Chapecoense à Colômbia matou ao menos 70. Foto: Colombia National Police via AP)

Acidente com avião que levava a Chapecoense à Colômbia matou ao menos 70. Foto: Colombia National Police via AP)

A Polícia Federal informou nesta terça-feira, 29, que enviará uma equipe de especialistas para apoiar as autoridades colombianas na identificação dos passageiros vítimas do acidente do avião que transportava a equipe do Chapecoense. O acidente matou 71 passageiros entre jogadores, jornalistas e tripulantes.

“O grupo é formado por papiloscopistas federais e possui larga experiência na identificação de vítimas. A equipe da Adidância da Polícia Federal em Bogotá também está em deslocamento ao local do acidente”, diz a nota da Federal.

O informe da Aerocivil, órgão que cuida do funcionamento das aviação na Colômbia, disse que a aeronave caiu aproximadamente às 10h30 da noite desta segunda-feira (1h30 desta terça-feira no horário de Brasília). O avião vinha de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e pertencia a empresa LaMia, cuja matrícula é LMI2933 RJ80.

A delegação do time da Chapecoense estava a bordo do avião para a disputa da fina da Copa Sul-Americana. As autoridades ainda investigam as causas do acidente.

Os seis sobreviventes estão em três hospitais da região onde se recuperam de múltiplas fraturas e traumatismos. Um dos sobreviventes é o goleiro reserva Jackson Follmann, que teve uma das pernas amputadas.

Tudo o que sabemos sobre:

Chapecoense

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.