PF encontrou cartão de diretor do Instituto Lula em bolsa de lobista

PF encontrou cartão de diretor do Instituto Lula em bolsa de lobista

Em depoimento, ex-presidente disse que diretor Celso Marcondes nunca comentou encontro com Cristina Mautoni

Andreza Matais e Fábio Fabrini / BRASÍLIA

22 de janeiro de 2016 | 19h57

policia-federal_em_greve

Ao cumprir mandado de busca e apreensão, a Polícia Federal encontrou na bolsa da lobista Cristina Marcondes um cartão de visita do diretor do Instituto Lula Celso Marcondes. Cristina teve os pertences revistados em outubro de 2015 porque é acusada de operar esquema de compra de medidas provisórias nos governo Lula e Dilma Rousseff por meio de pagamento de propina a agentes públicos. Ela também aparece em mensagens relacionadas à compra de caças pela Força Aérea Brasileira (FAB), outro lobby investigado pela Operação Zelotes. Já denunciada, Cristina espera o julgamento presa em Brasília.

[veja_tambem]

A lobista é mulher de Mauro Marcondes que também esta preso. A consultoria do casal, a Marcondes & Mautoni, foi contratada por montadoras de veículos com interesse na edição de Medidas Provisórias. A firma pagou R$ 2,5 milhões à LFT Marketing Esportivo, do empresário Luís Claudio Lula da Silva, filho de Lula, em contratos que estão sendo investigados.

No último dia 6, ao prestar depoimento à Polícia Federal sobre o esquema de compra de MPs, o ex-presidente Lula foi perguntado pelo delegado Marlon Cajado sobre a função de Celso Marcondes no Instituto Lula. “Informou que é diretor e que o mesmo nunca comentou qualquer encontro ou assunto tratado com Cristina Mautoni .”

A página do Instituto Lula na internet informa que o diretor, que não tem grau de parentesco com Cristina, é diretor responsável pela Iniciativa África. Também integra o conselho consultivo do Instituto Brasil-África, de Fortaleza. No governo Lula ele foi assessor de comunicação da presidência do BNDES e assessor do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. O diretor informou por meio da assessoria do Instituto Lula que não teve reuniões com Cristina Mautoni. Ele explicou ainda que várias pessoas recebem seu cartão de visita em eventos públicos.

Tudo o que sabemos sobre:

Operação Zelotes

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: