PF e FAB caçam 54 por tráfico de nove toneladas de cocaína em voos internacionais e Justiça bloqueia contas de 100

PF e FAB caçam 54 por tráfico de nove toneladas de cocaína em voos internacionais e Justiça bloqueia contas de 100

Operação Flak, deflagrada nesta quinta-feira, 21, cumpre também 81 mandados de buscas em sete estados e no DF; organização transportou drogas em, pelo menos, 23 viagens para os Estados Unidos e Europa

Marina Dayrell

21 de fevereiro de 2019 | 07h10

Foto: Polícia Federal

A Polícia Federal (PF) realiza na manhã desta quinta-feira, 21, a Operação Flak, para desarticular financeiramente uma organização criminosa especializada em transporte aéreo de drogas e que levou entorpecentes para o Brasil, Estados Unidos e Europa em, pelo menos, 23 viagens. Até as 10h, a PF já havia realizado 23 prisões, incluindo a de João Soares Rocha, apontado como chefe da quadrilha.

Estão sendo cumpridos outros 31 mandados de prisão e 81 de busca e apreensão no Distrito Federal e nos estados de Tocantins, Goiás, Paraná, Pará, Roraima, São Paulo e Ceará.

De acordo com informações da PF, o órgão pediu e a Justiça Federal deferiu o bloqueio de contas bancárias de aproximadamente 100 pessoas e empresas envolvidas, além da apreensão de 47 aeronaves, o sequestro de 13 fazendas com mais de 10 mil cabeças de gado bovino e a inclusão de seis pessoas no Sistema de Difusão Vermelha da Interpol.

A investigação, que teve início há dois anos, apontou que, no período compreendido entre meados de 2017 e 2018, foram realizados no mínimo 23 voos transportando em média 400 quilos de cocaína cada, totalizando mais de nove toneladas.

Segundo a PF, mais de 400 policiais federais dão cumprimento aos mandados. A ação conta com o apoio da Força Aérea Brasileira (FAB) e do Grupamento de Rádio Patrulha Aérea da Polícia Militar de Goiás (GRAER/PMGO).

Os investigados devem responder por tráfico transnacional de drogas, associação para o tráfico, financiamento ao tráfico, organização criminosa, lavagem de dinheiro e atentado contra a segurança do transporte aéreo.

Foto: PF