PF diz que patrimônio ilícito de Sérgio Cabral é um ‘oceano’

PF diz que patrimônio ilícito de Sérgio Cabral é um ‘oceano’

Procurador da República da força-tarefa da Operação Eficiência afirma que recursos oriundos de propinas da organização criminosa supostamente chefiada pelo ex-governador do Rio ainda não foram completamente mapeados

Wilson Tosta e Fábio Serapião

26 de janeiro de 2017 | 11h51

Sérgio Cabral chega ao IML em Curitiba, em 10 de dezembro. Foto: Rodrigo Felix/Gazeta do Povo

Sérgio Cabral chega ao IML em Curitiba, em 10 de dezembro. Foto: Rodrigo Felix/Gazeta do Povo

O tamanho da rede de propinas amealhadas pela organização criminosa supostamente liderada pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) ainda não foi identificado.

“O patrimônio dos membros da organização criminosa chefiada pelo senhor Sérgio Cabral é um oceano ainda não completamente mapeado”, disse o procurador da República Leonardo Cardoso de Freitas, que integra a força-tarefa da Operação Eficiência, deflagrada nesta quinta-feira, 26 – o peemedebista e o empresário Eike Batista são o alvo principal desta nova fase da Lava Jato.

Eficiência identificou a remessa de US$ 100 milhões para contas no exterior em favor de Sérgio Cabral e seus operadores de propinas.

“Eu diria que esses US$ 100 milhões é algo além do inimaginável”, disse o procurador

Tendências: