PF detalha na Embaixada da Espanha seu projeto ‘Madeira de Lei’, contra o desmatamento ilegal na Amazônia

PF detalha na Embaixada da Espanha seu projeto ‘Madeira de Lei’, contra o desmatamento ilegal na Amazônia

Polícia Federal vai mostrar aplicativo que desenvolveu para identificar exportação de madeira extraída ilegalmente; encontro nessa sexta-feira, 5, vai reunir embaixadores, diplomatas e policiais brasileiros e de 12 países e também da União Européia

Redação

05 de novembro de 2021 | 08h53

Foto: Dida Sampaio/Estadão

A Polícia Federal apresenta nesta sexta-feira, 5, um projeto batizado Madeira de Lei, que visa a cooperação policial internacional no combate ao tráfico ilegal de madeira. A iniciativa tem como objetivo difundir informações e metodologias de identificação de madeira originária da Amazônia entre o Brasil e os maiores destinatários desses produtos e ampliação das ações de cooperação internacional por meio das adidâncias.

A corporação vai detalhar o projeto às 10h desta sexta, em evento na Embaixada da Espanha que contará com a participação de embaixadores, diplomatas e policiais da Espanha, Suíça, Estados Unidos, França, Holanda, Bélgica, Reino Unido, República Dominicana, Alemanha, Itália, China, Portugal e da União Europeia. Adidos da PF em Portugal, Espanha, França, Estados Unidos e um oficial de ligação da Europol também vão participar, remotamente, por vídeo.

De acordo com a PF, o ‘Madeira de Lei’ prevê à disponibilização de um aplicativo desenvolvido pela Polícia Federal para auxiliar na identificação de madeira extraída ilegalmente. Por meio do app, será possível realizar o cruzamento de uma pequena amostra de madeira com a base de dados criada pelo órgão, sendo possível identificar a origem do material, explica a corporação.

O programa ainda envolve o treinamento de policiais na utilização do aplicativo, que será realizado presencialmente no Centro de Integração e Aperfeiçoamento em Polícia Ambiental em dezembro, informa a Polícia Federal.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.