PF destrói maquinário em megaoperação contra garimpo ilegal de ouro no Tapajós

PF destrói maquinário em megaoperação contra garimpo ilegal de ouro no Tapajós

Ação conta com apoio das Forças Armadas, PRF, Ibama, Funai, Bope do DF e Força Nacional de Segurança Pública para buscas próximo à terra indígena Munduruku, no Pará

Redação

15 de fevereiro de 2022 | 12h45

Operação Caribe Amazônico fez buscas contra garimpeiros que atuariam perto da terra indígena Munduruku, no Pará. Foto: Reprodução/PF

A Policia Federal ocupa nesta terça-feira, 15, as proximidades da terra indígena Munduruku, no Pará, em uma operação de combate ao garimpo ilegal de ouro no rio Tapajós.

Batizada de Caribe Amazônico, a fase ostensiva da operação foi aberta ontem para apreensão provas e destruição do maquinário usado pelos garimpeiros. A PF ainda investiga outros crimes ambientais que impactam a região de Alter do Chão.

“Até o momento já foram inutilizadas quatro pás caveiras e dois motores usados para bombear os sedimentos na extração do ouro que estavam sendo despejados nos igarapés que deságuam no Rio Tapajós, poluindo o rio”, informou a PF em nota divulgada nesta terça.

A investigação teve início a partir de uma denúncia de contaminação do Tapajós. Ao todo, 150 servidores da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Força Nacional de Segurança Pública, Marinha, Exército, Força Aérea Brasileira (FAB), Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Distrito Federal, Ibama e Funai foram mobilizados para a ação.

Assista registros da operação:

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.