PF descobre quadrilhas que fizeram 200 vítimas em fraude do PIS

PF descobre quadrilhas que fizeram 200 vítimas em fraude do PIS

Operações Golpes Master e GolPIS deflagradas nesta terça, 9, cumprem catorze mandados de busca e apreensão em Embu das Artes e em São Paulo

Pepita Ortega

09 de abril de 2019 | 10h04

Quadrilha sacava o Abono Salarial do PIS das vítimas, junto a agências da Caixa Econômica Federal, utilizando carteiras de identidade falsas. Foto: Daniel Teixeira / Estadão Conteúdo

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, 9, a 3ª Fase da Operação Golpes Master e a 2ª Fase da Operação GolPis, visando desarticular duas quadrilhas especializadas em fraudar, com uso de documentos falsos, o recebimento do Abono Salarial do PIS.

Na Operação Golpes Master, nove mandados de prisão temporária e dez mandados de busca e apreensão são cumpridos em São Paulo. Duas prisões já foram efetuadas.

Os policiais colhem provas contra investigados que gerenciariam, no grupo criminoso, a fabricação e obtenção de dados pessoais de beneficiários.

Já a Operação GolPis cumpre quatro mandados de busca e apreensão em Embu das Artes e em São Paulo.

Os alvos dos mandados são endereços de possíveis integrantes da quadrilha que cooptariam mulheres para sacar o Abono Salarial do PIS junto a agências da Caixa Econômica Federal, utilizando carteiras de identidade falsas.

Mais de duzentas vitimas foram identificadas nas apurações. Segundo a PF, as quadrilhas aproveitavam o desconhecimento das vítimas sobre o direito ao PIS e sacavam o benefício em agências da Caixa de diferentes cidades do Estado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.