PF deixa sede do PT após fazer buscas por mais de seis horas

PF deixa sede do PT após fazer buscas por mais de seis horas

A Operação Custo Brasil realizada hoje resultou em buscas no primeiro e no terceiro andares do edifício do PT, onde fica a secretaria de Finanças do partido

Ana Fernandes e Ricardo Galhardo

23 de junho de 2016 | 13h37

Sem título

A Polícia Federal (PF) deixou nesta tarde a sede do diretório nacional do PT, na região central de São Paulo, onde agentes estiveram por mais de seis horas na manhã desta quinta-feira, 23. A rua Silveira Martins, onde fica o prédio do PT, já foi liberada para carros e pedestres.

Em frente ao local ainda se encontra uma faixa colocada por militantes do partido com uma foto do rosto do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e os dizeres “Tchau ladrão”, uma resposta ao “Tchau, querida” usado contra Dilma Rousseff no processo de impeachment. Também há no local uma faixa verde com fotos de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e os dizeres “STF acovardado. A serviço do golpe!”

Não houve registro de confrontos ou agressão nesta manhã em frente ao diretório do partido. Apenas a presença de militantes, com gritos de ordem e faixas.

A Operação Custo Brasil realizada hoje resultou em buscas no primeiro e no terceiro andares do edifício do PT, onde fica a secretaria de Finanças do partido. A operação, portanto, não incluiu a sala do presidente da legenda Rui Falcão. Além disso, dois agentes da PF foram cumprir o mandado de prisão do ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira na sede do partido em Brasília.

Falcão estava em Brasília no momento da operação e veio para São Paulo ao tomar conhecimento da ação. Quando os agentes chegaram à sede da sigla em São Paulo, havia apenas um segurança que acionou uma funcionária da secretaria-geral do PT. Ela foi a responsável por avisar os dirigentes da sigla sobre a operação da PF.

CONFIRA IMAGENS DAS BUSCAS NA SEDE DO PT:

Tudo o que sabemos sobre:

Operação Custo BrasilPolícia Federal

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: