PF deflagra Panaceia 2 e Justiça afasta prefeita tucana de Oiapoque por desvios de testes para covid-19

PF deflagra Panaceia 2 e Justiça afasta prefeita tucana de Oiapoque por desvios de testes para covid-19

Segunda fase da operação mirou uso indevido de serviços públicos de saúde após medicamentos para o combate ao novo coronavírus eram disponibilizados para pessoas sem necessidade comprovada

Paulo Roberto Netto, Pepita Ortega e Fausto Macedo

24 de junho de 2020 | 20h32

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta, 24, a segunda fase da Operação Panaceia, levando ao afastamento da prefeita de Oiapoque (AP), Maria Orlanda Marques (PSDB). Também foram cumpridos mandados de busca e apreensão em residências de servidores públicos do município. O Ministério Público Federal apura desvios de medicamentos e testes para o combate do novo coronavírus.

De acordo com a Procuradoria, investigações indicam que testes e remédios usados no tratamento da covid-19 teriam sido destinados a pessoas sem necessidade comprovada com direcionamento de autoridades locais. Também foi constatado o uso de ambulâncias e equipes móveis de saúde no atendimento de pacientes sem adoção de normas e critérios técnicos.

Operação Panaceia. Foto: Polícia Federal

O MPF apura também a compra de bens para uso particular com dinheiro público. Os investigados podem responder por crime de responsabilidade, como apropriação, desvio e uso indevido de bens e serviços públicos. Se condenados, podem cumprir até 24 anos de reclusão.

Na primeira etapa da Panaceia, deflagrada no último dia 14, a PF cumpriu oito mandados de busca e apreensão em Macapá e no Oiapoque. Os agentes estiveram na Prefeitura de Oiapoque e na Secretaria Municipal de Saúde, além de vasculharem residências nos dois municípios.

COM A PALAVRA, A PREFEITURA DE OIAPOQUE
A reportagem busca contato com a prefeitura. O espaço está aberto para manifestações.

Tudo o que sabemos sobre:

coronavírusOiapoque [AP]

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.