PF deflagra operação contra fraude em obras da seca no RN

PF deflagra operação contra fraude em obras da seca no RN

'Operação Itaretama' mira grupo que direcionava licitações

Redação

27 de janeiro de 2015 | 13h31

Por Fausto Macedo e Julia Affonso

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, 27, em Natal , a Operação Itaretama para desarticular uma associação criminosa que fraudava licitações em prefeituras do interior do Rio Grande do Norte e na Companhia de Águas e Esgotos do Estado (CAERN), direcionava obras promovidas pelo Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS), além de desviar recursos públicos.

A investigação da PF teve início no primeiro semestre de 2014 e revelou que servidores do DNOCS mantinham “estreito relacionamento” com empresários do setor de engenharia, fazendo com que contratações tenham sido direcionadas e licitações indevidamente dispensadas ou fraudadas.

DPF01

A investigação da PF revelou que servidores mantinham “estreito relacionamento” com empresários do setor de engenharia. Foto: Polícia Federal

Segundo a PF, as suspeitas recaem principalmente sobre as obras de construção de açude no Assentamento 3 de agosto (Pau de Leite), da adutora de Jucuri, em Mossoró, e na adutora de engate rápido de Jucurutu, ambas situadas na região Oeste do Estado.

A PF informou que “há indícios de que as obras não foram devidamente fiscalizadas durante sua execução, com prejuízo ao erário”. Em nota, a Superintendência Regional da PF no Rio Grande do Norte destacou que também “há fortes suspeitas de corrupção ativa e passiva”.

Paralelamente, parte do grupo investigado estaria combinando propostas de licitações em prefeituras do interior do Estado e na Companhia de Águas e Esgotos do Estado. Cerca de 30 policiais federais saíram às ruas logo cedo nesta terça feira, 27, para cumprir sete mandados de busca e apreensão.

Segundo a PF, o nome da operação Itaretama significa ‘região de pedras’ e, no passado, foi a denominação do município de Lajes/RN, local onde foi construída a primeira das obras sob suspeita.

COM A PALAVRA, A COMPANHIA DE ÁGUAS E ESGOTOS DO RIO GRANDE DO NORTE

Por meio de sua Assessoria de Comunicação Social, a Companhia de Águas informou.

“Na manhã desta terça-feira (27), a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) foi surpreendida com o seu nome em matérias relacionadas à Operação Itaretama da Polícia Federal. Sobre as obras citadas na operação, a Diretoria de Empreendimentos da Companhia declara não haver envolvimento com tais contratos investigados, e que não participou de processos licitatórios, e ainda não ser a empresa responsável pelas fiscalizações dessas obras.

A Diretoria afirma também que cumpre rigorosamente a Lei de Licitações e que trabalha para garantir lisura em todos os processos que realiza. A Companhia esclarece ainda que como empresa pública preza pela transparência, realizando todas as publicações que assegurem o conhecimento público. O bem estar da população e bom uso do dinheiro público são valores que permeiam todo e qualquer processo licitatório realizado pela empresa, assim como, o acompanhamento e fiscalização das obras realizadas sob sua responsabilidade.

Mantendo o seu compromisso com o Estado do Rio Grande do Norte e com a justiça, a Caern se coloca à disposição da Polícia Federal para contribuir com as investigações, esperando que os culpados respondam pelos seus atos de improbidade. Além disso, a Diretoria da Caern repudia toda e qualquer atitude ilícita daqueles que se apropriaram indevidamente dos recursos públicos.”

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia Federal