PF deflagra Operação Ciclo Final no combate ao comércio irregular de anabolizantes

PF deflagra Operação Ciclo Final no combate ao comércio irregular de anabolizantes

Justiça mandou cumprir 18 mandados de prisão em São Paulo, Minas, Paraná e Rio

Redação

09 Abril 2015 | 11h49

Apreensão Operação Ciclo Final - 1

Apreensão de 120 kg em Guarulhos. Produtos acabados para o consumo humano, em 05.12.2014 (maior apreensão do Brasil em 2014). Foto: Polícia Federal

 

Por Fausto Macedo e Julia Affonso

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta feira, 9, a Operação Ciclo Final, no combate à importação e distribuição irregular de anabolizantes e outros medicamentos de uso controlado. Cerca de 150 policiais federais saíram às ruas desde cedo para cumprir 18 mandados de prisão e 26 mandados de busca e apreensão nos Estados de São Paulo, Minas, Paraná e Rio.

Segundo a PF, a organização criminosa atuava em todo o País, a partir da distribuição de anabolizantes e outros medicamentos de uso controlado através dos Correios e de transportadoras. As matérias primas eram importadas da China e acondicionadas em meio a outros materiais para dar aparência de licitude à importação. As informações sobre a Operação Ciclo Final foram divulgadas na manhã desta quinta feira, 9, no site da Polícia Federal.

Foto: Polícia Federal

Apreensões de anabolizantes diversos nos CORREIOS – cerca de 100 caixas. Foto: Polícia Federal

Em laboratórios da própria organização criminosa, a droga era beneficiada e envasada, ficando pronta para uso. Segundo o inquérito policial, os compradores eram, em sua maioria, frequentadores de academias e fisiculturistas. A investigação teve início há oito meses, após a apreensão de uma encomenda, postada em uma agência dos Correios na região de São José do Rio Preto (SP), que continha medicamentos anabolizantes. A comercialização destes medicamentos era feita por meio de sites especializados na internet.

Foto: Polícia Federal

Apreensão 160 kg de diversos sais – CASCAVEL/PR – em 15.02.2015. Foto: Polícia Federal

Durante os oito meses de investigação foram apreendidos aproximadamente 300 quilos de substâncias anabolizantes e medicamentos. Segundo a PF, há indícios de que a organização criminosa atuava há mais de cinco anos. Em razão do volume comercializado pelos investigados a PF estima um lucro mensal de R$ 200 mil. Os policiais já identificaram um patrimônio de mais de R$ 6 milhões em bens móveis, imóveis e contas bancárias ligados à organização criminosa.

Os suspeitos deverão ser processados pelos crimes de tráfico de drogas, falsificação de produto destinado a fins medicinais e integrar organização criminosa. As penas variam de 3 a 38 anos de reclusão. O nome da operação faz alusão à forma de administração dos medicamentos anabolizantes, cujo período de uso é chamado de ‘ciclo’.