PF dá início a análise de áudio da conversa de Temer com Joesley Batista

PF dá início a análise de áudio da conversa de Temer com Joesley Batista

Veja os questionamentos que a defesa de Michel Temer encaminhou para que a PF leve em conta durante a perícia

Fabio Serapião e Fausto Macedo

21 de maio de 2017 | 19h59

A Polícia Federal recebeu hoje a gravação entregue pelos executivos da Holding J&F à Procuradoria-geral da República na qual o presidente Michel Temer aparece em conversa no Palácio do Jaburu com o empresário Joesley Batista.

Em nota divulgada no início da noite, a PF confirmou o recebimento dos áudios e dos quesitos apresentados pela PGR e pela defesa do Presidente Temer. Esses quesitos são questionamentos que a PGR e a defesa do presidente pretendem fazer sobre possíveis edições e falhas na gravação.

A perícia foi solicitada após a defesa de Temer, baseada em perícias divulgadas por jornais, contestar a autenticidade da gravação. O perito extrajudicial e judicial Marcelo Carneiro de Souza afirmou ao Estado ter identificado “fragmentações” em 14 momentos na gravação.

“Em análise técnica preliminar, o Instituto Nacional de Criminalística apontou que é fundamental ter acesso ao equipamento que realizou as gravações originais. Por esse motivo, a PF oficiou à PGR, solicitando o aparelho. Não há prazo inicial estipulado para conclusão dos trabalhos periciais, especialmente diante da necessidade apontada de perícia também no equipamento”, afirma a PF.

Veja as 15 perguntas que o advogado Antônio Cláudio Mariz, que representa Temer, encaminhou à PF:

Documento

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.