PF cumpre mandados contra hackers que vazaram exames atribuídos a Bolsonaro e acessaram dados de 200 mil servidores

PF cumpre mandados contra hackers que vazaram exames atribuídos a Bolsonaro e acessaram dados de 200 mil servidores

Grupo é suspeito de invadir sistemas de diversos órgãos públicos, incluindo universidades federais, prefeituras e câmaras de vereadores

Rayssa Motta

26 de junho de 2020 | 08h58

Foto: Adriano Machado / Reuters

A Polícia Federal deflagrou, nesta sexta-feira, 26, uma ação contra suspeitos de invasão em sistemas informatizados de órgãos públicos para vazar dados privados de servidores e autoridades, incluindo supostos exames do presidente Jair Bolsonaro.

A Operação Capture the flag cumpriu três mandados judiciais de busca e apreensão no Rio Grande do Sul e Ceará nos endereços de três jovens, dois deles de 17 anos e um terceiro de 19.

A investigação suspeita de acesso ilícito a dados pessoais de mais de 200 mil servidores e autoridades, com invasão de sistemas de diversos órgãos públicos, incluindo universidades federais, prefeituras e câmaras de vereadores nos estados do Rio de Janeiro, Paraná, Goiás e Rio Grande do Sul.

Segundo a PF, o objetivo dos ataques cibernéticos é ‘intimidar e constranger tanto as instituições quanto as vítimas que tiveram seus dados e intimidade expostos’.

Ainda de acordo com a Polícia Federal, foram encontrados indícios de outros crimes, incluindo corrupção de menores, estelionato, fraudes bancárias e organização criminosa.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair Bolsonaro

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.