PF conta as riquezas de Renato Duque, ex-diretor da Petrobrás

PF conta as riquezas de Renato Duque, ex-diretor da Petrobrás

Em poder de ex-diretor de Serviços da estatal, força tarefa da Operação Lava Jato confiscou relógios Mont Blanc e Cartier, colares e obras de arte

Redação

27 de março de 2015 | 16h52

Colar apreendido na casa de Duque. Foto: Reprodução/Estadão

Colar apreendido na casa de Duque. Foto: Reprodução/PF

 

Por Julia Affonso, Ricardo Brandt e Fausto Macedo

A Polícia Federal acabou de catalogar todos os bens apreendidos em poder do ex-diretor de Serviços da Petrobrás, Renato Duque – preso pela Operação ‘Que País é esse?’, deflagrada dia 16. As informações, acompanhadas de fotos dos itens recolhidos, constam de um relatório detalhado da Polícia Federal, ora juntado aos autos da Lava Jato.

O tesouro de Renato Duque, sob custódia da Operação Lava Jato, é formado por obras de arte, canetas Mont Blanc e Cartier, relógios, colares, “aparentando ser de pérolas”. Uma coleção sem fim de peças de valor ainda incalculável. Os peritos federais fazem a avaliação.

Relógio apreendido na casa do ex-diretor da Petrobrás. Foto: Reprodução/PF

Relógio apreendido na casa do ex-diretor da Petrobrás. Foto: Reprodução/PF

 

As riquezas do ex-diretor de Serviços da Petrobrás foram apreendidas pela Polícia Federal na residência de Duque, no Rio de Janeiro. Obras de arte são 132. Elas já estão sob os cuidados do Museu Oscar Niemeyer, de Curitiba (PR), base da Operação Lava Jato.

Outra riqueza de Renato Duque, esta em dinheiro vivo, foi localizada e confiscada em um banco do Principado de Mônaco – 20 milhões de euros.

VEJA RELATÓRIO DA POLÍCIA FEDERAL QUE INDICA UMA A UMA AS RIQUEZAS DO EX-DIRETOR DA PETROBRÁS

 

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoPetrobrásRenato Duque