PF confisca joias e relógios de luxo na Operação Tatuzão

PF confisca joias e relógios de luxo na Operação Tatuzão

Por ordem do juiz Marcelo Bretas, agentes federais vasculharam endereços do subsecretário de Turismo e do diretor da Riotrilhos, presos em caráter preventivo nesta terça-feira, 14

Mateus Coutinho, Julia Affonso e Luiz Vassallo

14 Março 2017 | 18h40

tolypeutes_002

Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal no Rio apreendeu jóias e relógios de luxo na residência de um dos investigados da Operação Tolypeutes, desdobramento da Lava Jato no Estado que apura propinas de R$ 5,4 milhões nas obras da Linha 4 do Metrô do Rio. A operação levou à prisão do subsecretário de Turismo do Estado Luiz Carlos Velloso e do diretor da Riotrilhos Heitor Lopes de Sousa Junior.

tolypeutes_003

Foto: Divulgação/PF

Além disso, foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão na capital fluminense e na cidade de Sapucaia (RJ), e três mandados de condução coercitiva.

tolypeutes_004

Foto: Divulgação/PF

Os artigos recolhidos pela PF vão desde relógios Rolex a colares e brincos de luxo. A ação da Polícia Federal foi deflagrada por decisão do juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal do Rio.

A investigação tem base no acordo de leniência da empreiteira Carioca Engenharia, que apontou o pagamento de propinas a agentes públicos para vencer a licitação das obras da Linha 4.

tolypeutes_006

Foto: Divulgação/PF

 

Notícias relacionadas