PF combate fraude de R$ 70 mi em seguro-desemprego para pescadores

PF combate fraude de R$ 70 mi em seguro-desemprego para pescadores

Agentes cumprem nove mandados de busca e apreensão e dois de prisão preventiva nos estados do Pará e do Amapá contra grupo que fornecia os dados dos beneficiários em potencial da fraude

Pedro Prata e Fausto Macedo

26 de setembro de 2019 | 12h19

A Polícia Federal cumpre nesta quinta, 26, mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva nos Estados do Pará e do Amapá contra grupo criminoso que fraudou em até R$ 70 milhões o Seguro Desemprego de Pescador Artesanal, conhecido como Seguro Defeso.

As informações são divulgadas pela assessoria da PF. Cerca de 40 policiais federais cumprem mandados nas cidades de Almeirim e Monte Dourado, no Pará, e em Laranjal do Jari, no Amapá, expedidos pela Justiça Federal de Caxias do Sul.

O Seguro Desemprego de Pescador Artesanal é conhecido como Seguro Defeso. Foto: Paulo Liebert/Estadão

“Aos investigados que não tiveram a prisão preventiva decretada, foram impostas medidas cautelares diversas, como recolhimento domiciliar em período integral com monitoramento eletrônico. Os crimes investigados na terceira fase da Operação Timoneiro são organização criminosa, corrupção ativa e estelionato qualificado.”

Os alvos desta fase da operação eram os responsáveis por fornecer os dados cadastrais dos potenciais beneficiários do Seguro Defeso de forma irregular. Com essas informações, servidores públicos com acesso ao sistema de concessão do benefício podiam executar a fraude.

As ações fazem parte da terceira fase da Operação Timoneiro. As fases anteriores, bem como a Operação João XXI, deflagradas em abril e julho de 2018, tiveram início a partir de um relatório do Ministério do Trabalho e Emprego que identificou 6.988 requerimentos do benefício com indícios de irregularidade.

Nove servidores públicos e outras dez pessoas já foram presas preventivamente e indiciadas em fases anteriores da operação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: