PF cerca grupos que ‘importaram’ US$ 30 mi do Uruguai

PF cerca grupos que ‘importaram’ US$ 30 mi do Uruguai

Operação Benjamin, deflagrada nesta terça, 10, cumpre seis mandados de buscas contra investigados que abasteciam doleiros com a moeda americana internalizada em compartimentos ocultos em veículos de passeio e em ônibus de turismo

Pepita Ortega e Fausto Macedo

10 de setembro de 2019 | 10h13

PF cerca grupos que ‘importaram’ US$ 30 mi do Uruguai. Foto: Polícia Federal

A Polícia Federal desencadeou nesta terça, 10, a Operação Benjamin, que investiga 5 grupos especializados em câmbio ilegal. Um efetivo de 26 policiais federais cumpre seis mandados de busca e apreensão nos municípios gaúchos de Santana do Livramento (1), Uruguaiana (2) e Passo Fundo (1), e ainda em São Paulo (2 mandados). Um grupo atuante em Porto Alegre também é investigado.

A apuração, iniciada em maio de 2018, indica que o esquema teria internado ilegalmente no país mais de US$ 30 milhões entre os anos de 2017 e 2019.

Segundo a PF, os grupos investigados realizavam de forma sistemática a aquisição de moeda americana no Uruguai para posteriormente transportá-la, em espécie, até São Paulo, onde era trocada por reais, abastecendo doleiros locais.

O dinheiro era movimentado em compartimentos ocultos em veículos de passeio e em ônibus de turismo, ou junto ao corpo dos investigados.

No decorrer das investigações, foram realizadas nove apreensões de moeda em espécie, totalizando mais de US$ 1,1 milhão e R$ 620 mil.

A Polícia Rodoviária Federal prestou apoio em diligências e abordagens no decorrer do inquérito policial.

Até agora, treze pessoas já foram indiciadas por crime de fazer operar instituição financeira de câmbio, sendo seis delas, também, por crime de organização criminosa.

Tendências: