PF caça oito por tráfico de cocaína em peças de chumbo e lavagem de dinheiro em gado

PF caça oito por tráfico de cocaína em peças de chumbo e lavagem de dinheiro em gado

Operação Sarepta descobre grupo que transportava carregamentos da droga de Rondônia para São Paulo em caminhões

Marina Dayrell

26 de fevereiro de 2019 | 10h55

Foto: Polícia Federal

A Polícia Federal realiza, na manhã desta terça-feira, 26, a Operação Sarepta para desarticular uma organização criminosa especializada em tráfico interestadual de drogas e lavagem de capitais, com atuação majoritária em Rondônia. São cumpridos três mandados de prisão preventiva, cinco de temporária e 19 de busca e apreensão.

A Vara de Delitos de Tóxicos de Porto Velho determinou o bloqueio de contas bancárias e bens dos investigados, além do sequestro de imóveis, veículos e gados.

Os mandados foram expedidos para as cidades de Porto Velho e outros quatro municípios de Rondônia – Ariquemes, Alto Paraíso, Monte Negro e Rio Crespo, além de três cidades da Bahia – Itabuna, Jequié e Camaçari -e, ainda, em São Paulo.

De acordo com informações da Polícia Federal, ao longo das investigações, iniciadas em janeiro de 2018, foram apreendidas duas cargas de entorpecentes nas cidades de Itabuna e São Paulo, totalizando aproximadamente 140 kg de cocaína.

As drogas eram transportadas de Porto Velho e Ariquemes dentro de peças metálicas de chumbo para a Bahia e São Paulo.

Foto: Polícia Federal

A PF apurou que, para burlar a fiscalização, eram contratadas empresas de transporte de boa-fé e que não tinham participação no esquema.

As investigações apontaram que os investigados lavavam o dinheiro obtido com a venda das drogas por meio da aquisição de diversos imóveis, gados e veículos.

Alguns caminhões comprados nesse esquema eram, inclusive, locados a órgãos públicos no interior de Rondônia para forjar legalidade ao dinheiro ilícito.

Segundo a PF, o principal investigado e líder do grupo criminoso, além de suas atividades de compra e venda de gado e aluguel de máquinas adquiridas com o dinheiro ilícito, é proprietário de uma loja de aparelhos celulares na cidade de Ariquemes, utilizada para a emissão de notas fiscais falsas e para a lavagem de capitais.

Os detidos na operação responderão pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro.