PF caça coiotes na Operação Piratas do Caribe

PF caça coiotes na Operação Piratas do Caribe

Organização levava brasileiros para os Estados Unidos por R$ 60 mil

Fausto Macedo e Julia Affonso

13 de janeiro de 2017 | 08h23

Foto: Reprodução/Sindicato dos Delegados da Polícia Federal

Foto: Reprodução/Sindicato dos Delegados da Polícia Federal

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira, 13, a Operação Piratas do Caribe contra um grupo de coiotes que levaria brasileiros ilegalmente para os Estados Unidos. Em nota, a PF informou que a ação busca ainda elementos que indiquem onde se encontram os 12 brasileiros desaparecidos em novembro de 2016 na região das Bahamas.

Cerca de 30 policiais federais cumprem 7 mandados de busca e apreensão e 5 de prisão preventiva, em Rondônia, Santa Catarina e Minas Gerais.

As investigações começaram a partir da notícia do desaparecimento de um brasileiro que teria tentado entrar ilegalmente nos Estados Unidos com auxílio de coiotes que cobravam quantias de até R$ 60 mil para intermediar o transporte ilegal via Bahamas.

Antes de sair do Brasil, os imigrantes ficavam em alguma cidade com aeroporto internacional de fácil acesso aguardando a ordem de embarque para as Bahamas, que ocorria quando um determinado agente de imigração daquele país facilitava a entrada dos brasileiros. Uma vez nas Bahamas, os imigrantes aguardavam por vários dias para embarcar para os Estados Unidos de barco.

Além de todos os conhecidos riscos que envolvem a imigração ilegal para outros países, os coiotes escondiam os reais perigos envolvidos na travessia como a passagem pela região do Triângulo da Bermudas, famosa pelo alto índice de tempestades, naufrágios e desaparecimento de embarcações e aeronaves.

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia Federal

Tendências: