PF ataca líderes de facções do crime organizado

PF ataca líderes de facções do crime organizado

Operação Pregadura cumpre mandados de busca e apreensão e prisão preventiva em São Paulo e outros seis Estados

Paulo Roberto Netto

20 Novembro 2018 | 14h05

Polícia Federal apreendeu drogas durante a operação. Foto: Polícia Federal

A Polícia Federal deflagou nesta terça-feira, 20, a Operação Pregadura, que mira suspeitos de liderar facções criminosas que atuam dentro e fora de presídios do País. Ao todo, foram cumpridos dez mandados de busca e apreensão e 31 de prisão preventiva em São Paulo e outros seis Estados.

De acordo com a PF, os suspeitos comandavam ações da facção em todo o Brasil, autorizando ataques a funcionários públicos, torturas, rebeliões e compra e venda de armas de fogo. As decisões partiam da Penitenciária Estadual de Piraquara, no Paraná, e eram difundidas por telefones celulares contrabandeados para dentro dos presídios.

Nas unidades prisionais onde não entrava equipamentos eletrônicos, a comunicação entre os suspeitos era feita por bilhetes passados por visitantes.

A Polícia Federal também investiga como os presos tiveram acesso à rede Wi-Fi dos presídios e não descartam participação de agentes públicos. “Ainda está em investigação, que irá mostrar se é possível a individualização e responsabilização de quem permitiu isso”, disse o delegado Marco Smith, que coordenou a operação.

Ao todo, foram cumpridos dez mandados de busca e apreensão e 31 de prisão preventiva em municípios de São Paulo (São Paulo, Presidente Bernardes, Presidente Venceslau, Lins, Mairiporã e Ubatuba), Minas Gerais (Uberava), Rondônia (Porto Velho), Rio Grande do Norte (Mossoró), Roraima (Boa Vista), Mato Grosso do Sul (Dourados e Campo Grande) e Paraná (Londrina, Cambará, Curitiba, Araucária, São José dos Pinhais e Piraquara).

A maioria dos presos já estava presa em unidades prisionais do País. Três foragidos foram localizados.

Polícia Federal cumpre mandado de prisão preventiva no aeroporto de Presidente Prudente, em São Paulo. Foto: Polícia Federal

Os mandados foram expedidos pela Vara Criminal de Piraquara e o nome da operação, Pregadura, faz referência a uma jogada de xadrez que impede a movimentação das peças do adversário durante a partida.