PF ataca desvio de R$ 700 mi em obras de rodovias

PF ataca desvio de R$ 700 mi em obras de rodovias

Operação Buracos investiga desvios de recursos públicos no âmbito do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (DERACRE), e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, DNIT do estado de Rondônia

Julia Affonso e Fausto Macedo

30 de outubro de 2017 | 10h48

Foto: Reprodução/Sindicato dos Delegados da Polícia Federal

A Polícia Federal, com a participação do Ministério Público Federal, da Controladoria-Geral da União, do Tribunal de Contas da União e da Receita Federal, deflagrou a Operação Buracos. O objetivo é apurar desvios de recursos públicos no âmbito do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (DERACRE), e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, DNIT do estado de Rondônia.

Procuradoria vê fraude em obra de cidade de 27 mil habitantes para Henrique Alves

Tribunal de Contas do Piauí banca 58 servidores em Olimpíada em Brasília

Os recursos federais investigados eram destinados à construção, pavimentação, conservação e recuperação de rodovias federais, além da abertura, melhoramento ou recuperação de ramais. Estima-se que o prejuízo possa chegar ao montante de R$ 700 milhões.

Em not, a PF informou que cerca de 150 servidores, dentre policiais federais, auditores da CGU, auditores do TCU e auditores da Receita Federal estão dando cumprimento a 23 mandados de condução coercitiva e 26 de busca, nos municípios de Rio Branco/AC, Porto Velho/RO, Pimenta Bueno/RO, Ji-Paraná/RO, Cuiabá/MT e Araraquara/SP.

O esquema investigado envolve servidores do Departamento Estadual de Estradas e Rodagens do Acre (DERACRE), do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/RO), além de empresários. Os valores eram pagos por serviços não executados e materiais que nunca seriam entregues. O grupo também se utilizava de funcionários fantasmas.

Três servidores do DNIT/RO foram afastados de seus cargos por suspeita de envolvimento com os crimes investigados.

São investigados os crimes de peculato, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O nome da operação faz referência a uma assertiva de que “no estado do Acre, buracos dão lucros para poucos!”

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia FederalAcreRondônia

Tendências: