PF ataca desvio de R$ 70 mi dos presídios de Roraima

Mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão são cumpridos em Boa Vista e Brasília

Redação

29 Novembro 2018 | 13h34

[---#{"MM-ESTADAO-CONTEUDO-FOTO":[{"ID":"947548","PROVIDER":"AGILE"}]

}#” data-mce-resize=”false” data-mce-placeholder=”1″ />

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 29, a Operação Escuridão para desarticular organização criminosa envolvida em desvio de recursos públicos do sistema penitenciário de Roraima entre 2015 e 2018. O faturamento do esquema ficou próximo a R$ 70 milhões, calculam os investigadores.

Estão sendo cumpridos 11 mandados de prisão preventiva e 20 de busca e apreensão em Boa Vista e Brasília. As 31 ordens foram expedidas pelo Tribunal de Justiça de Roraima.

As investigações apuram supostas irregularidades em contratos de fornecimento de alimentação para presídios no Estado. O esquema teria começado em 2015 com a contratação emergencial de uma empresa constituída em oito dias para cuidar da alimentação dos detentos. As refeições eram superfaturadas, feitas com alimentos de baixa qualidade e eram providenciadas em menor quantidade que o contratado, apura a Polícia Federal.

A empresa estava em nome de laranjas, que sacaram 30% do valor dos contratos, em espécie, para o pagamento de propinas e enriquecimento ilícito dos proprietários do negócio, dizem os investigadores, a partir da quebra do sigilo bancário e telefônico dos alvos da operação.

A PF afirma que agentes públicos e políticos estão envolvidos no esquema.