PF acha tesouro de Beltrame

PF acha tesouro de Beltrame

Policiais federai encontraram nesta terça-feira, 23, obras de arte no apartamento em Porto Alegre do secretário de Saúde do governo Helder barbalho e alvo da investigação sobre fraudes na compra de R$ 50 milhões em respiradores no Pará

Redação

23 de junho de 2020 | 13h45

Durante as buscas da Operação Matinta Perera, na manhã desta terça, 23, a Polícia Federal encontrou diversas obras de arte em endereços ligados ao secretario de Sáude do Pará Alberto Beltrame, que também é presidente Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde. A corporação informou que a ofensiva tinha como objetivo colher mais elementos sobre a participação de Beltrame nos fatos investigados e ‘verificar se há compatibilidade entre seu patrimônio e rendimentos’.

Em nota, Beltrame sinalizou que as obras de arte encontradas em seu apartamento foram adquiridas antes de ele assumir o cargo na Secretaria de Saúde do Pará e são ‘fruto de 35 anos de trabalho’. ” Todo o meu patrimônio é absolutamente compatível com a renda que auferi com meu trabalho ao longo deste tempo”, declarou.

Segundo a PF, as obras de arte devem ser apreendidas e serão avaliadas. Até o fim de tal avaliação, devem ser deixadas com ‘fiel depositário’. As fotografias feitas pela PF mostram diferentes quadros, tapeçarias e estatuetas. Além das obras, a corporação apreendeu em um dos endereços um passaporte , dólares e pesos argentinos.

A ‘Matinta Perera’ é a segunda fase da Operação ‘Para Bellum’, que investiga supostas fraudes em contrato de R$ 50 milhões para aquisição de respiradores pelo governo do Pará. A primeira etapa da investigação foi aberta no último dia 10 e fez 23 buscas em endereços de seis Estados e do Distrito Federal, alguns deles ligados ao governador do Estado, Helder Barbalho e a Alberto Beltrame.

 

COM A PALAVRA, ALBERTO BELTRAME

“Esclareço que as obras de arte que estão no meu apto em Porto Alegre são fruto de 35 anos de trabalho. Todas elas foram adquiridas antes de minha gestão como Secretário de Saúde no Pará. Algumas obras são cópias e as que têm valor foram declaradas no meu imposto de renda. Foram pagas com transferências bancárias e tenho suas notas fiscais. Todo o meu patrimônio é absolutamente compatível com a renda que auferi com meu trabalho ao longo deste tempo. Por fim, informo que os valores pagos pelos respiradores no estado do Pará foram integralmente devolvidos aos cofres do estado.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.