PF acha ‘Las Vegas’ na planilha de propinas da Odebrecht

PF acha ‘Las Vegas’ na planilha de propinas da Odebrecht

Douglas Franzoni, que foi comissionado no ministério de Lobão e na Casa Civil de Lula, aparece na contabilidade paralela da secretária da empreiteira

Julia Affonso, Ricardo Brandt e Fausto Macedo

23 de março de 2016 | 10h43

douglas1

A Polícia Federal achou ‘Las Vegas’ na planilha de propinas da empreiteira Odebrecht. Os investigadores suspeitam que’Las Vegas’ é Douglas Franzoni Rodrigues. O nome dele consta da planilha apreendida na casa da secretária do alto escalão da Odebrecht, Maria Lúcia Guimarães Tavares, delatora da Operação Xepa, 26ª fase da Lava Jato, deflagrada nesta terça-feira, 22.

Segundo os investigadores, Franzoni é ligado a Anderson Dornelles, que foi recentemente exonerado do Gabinete da Casa Civil após ser citado como sócio oculto de um bar no Estádio Beira Rio, do Internacional de Porto Alegre. A arena foi reconstruída pela empreiteira Odebrecht para a Copa do Mundo 2014.

Douglas Franzoni Rodrigues foi comissionado em cargos do Poder Executivo Federal. Em 19 de setembro de 2005, ele foi nomeado para o cargo de Assistente Técnico na coordenação-geral de Auditoria da Secretaria de Controle Interno da Casa Civil da Presidência da República, governo Lula.

douglas2

douglas3

douglas4

douglas5

Em 25 de setembro de 2008, ele foi exonerado do cargo em comissão de Assistente de Consultoria Jurídica, no âmbito do Ministério de Minas e Energia. Na época, quem comandava a pasta era Edison Lobão, senador pelo PMDB do Maranhão.

[veja_tambem]

Franzoni também foi nomeado para cargo comissionado da Gerência Executiva da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) em 20 de novembro de 2008. Em 22 de junho de 2012 foi exonerado.

A Polícia Federal afirma que na planilha encontrada com Maria Lúcia Tavares constam endereços ‘com locais de entrega de recursos em espécie associado a codinomes’. Cada uma das requisições está vinculada a um executivo da Odebrecht e a uma ‘obra’.

O nome de Douglas Franzoni Rodrigues estava ligado ao codinome ‘Las Vegas’. Segundo a força-tarefa da Lava Jato, há ainda um registro de possível entrega de propinas para ele no endereço na Asa Norte, Quadra 5, Bloco G, Mercure Brasilia Eixo, ‘com indicação da obra DP-ODB e responsável HS’, em 4 de novembro de 2014, no valor de R$ 50 mil. Para os investigadores, ‘HS’ se refere ao executivo ligado à Odebrecht Hilberto Silva.

“Em pesquisa junto aos hóspedes do referido hotel, foi possível evidenciar que o hóspede do apartamento 109 era a pessoa de Douglas Franzoni Rodrigues”, afirma a PF em relatório da Operação Xepa. “Em consulta a fontes abertas, observa-se que Douglas Franzoni Rodrigues possui diversas passagens em cargos comissionados no âmbito do Poder Executivo Federal.”

Tudo o que sabemos sobre:

Odebrechtoperação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.