PF acaba com tráfico pelos Correios e barra ecstasy, LSD, skunk e maconha em raves

PF acaba com tráfico pelos Correios e barra ecstasy, LSD, skunk e maconha em raves

Agentes da Polícia Federal no Maranhão deflagram a segunda fase da Operação 'MD' e cumprem cinco mandados de prisão temporária e quatro de buscas na capital São Luís contra supostos fornecedores de drogas para festas eletrônicas

Pepita Ortega e Luiz Vassallo

15 de maio de 2019 | 10h41

Imagem ilustrativa. Foto: Pixabay

A Polícia Federal no Maranhão, por meio da Delegacia de Repressão a Drogas (DRE), deflagrou na manhã desta quarta, 15, a segunda fase da Operação ‘MD’, para desarticular grupo especializado no tráfico de drogas utilizando-se dos Correios.

A partir dos interrogatórios de investigados na primeira fase da ‘MD’ e da análise de algumas mídias a PF identificou mais integrantes do grupo especializado na distribuição de drogas como ecstasy e LSD, além de cocaína, skunk e maconha, em festas na capital maranhense, especialmente em raves, eventos de música eletrônica.

A equipe de investigação interceptou várias encomendas, contendo as substâncias entorpecentes que chegavam até os investigados, via postal, oriundas dos Estados do Rio, Pernambuco e Mato Grosso do Sul.

A nova etapa da ‘MD’ é continuação da operação anteriormente deflagrada em 16 de abril. Segundo a PF, ‘MD’ são as iniciais da substância (metileno-dióxido) que compõe o ecstasy, uma das principais drogas traficadas pelo grupo.

A PF cumpriu cinco mandados de prisão temporária e quatro de buscas em São Luis. As ordens foram expedidas pela Justiça Estadual do Maranhão, ‘com o objetivo de colher provas da materialidade do crime e subsidiar as investigações’.

Os envolvidos estão sendo conduzidos à Superintendência de Polícia Federal no Maranhão, onde serão indiciados por tráfico de drogas e associação para o tráfico, crimes previstos nos artigos 33 e 35 da Lei nº 11.343/06. Caso sejam condenados, responderão por penas que chegam até 15 anos de reclusão.

Tendências: