PF abre ‘Suitcase’ e mira ex-diretor do Banco do Nordeste por R$ 200 mil em maleta

PF abre ‘Suitcase’ e mira ex-diretor do Banco do Nordeste por R$ 200 mil em maleta

Operação foi desencadeada na manhã desta quinta, 12, para realizar quatro buscas; investigação tem como base delações que citam entrega de dinheiro em espécie em um hotel de Fortaleza

Redação

12 de março de 2020 | 09h46

Atualizada às 12h02 de 12.03 com posicionamento do Banco do Nordeste*

Agência do Banco do Nordeste. Foto: Google Maps

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta, 12, a Operação Suitcase, para investigar crimes de corrupção ativa e passiva envolvendo um ex-diretor do Banco do Nordeste que teria recebido R$ 200 mil em espécie. O dinheiro teria sido entregue em uma maleta em um hotel de Fortaleza e por isso o nome da ação.

Agentes cumpriram quatro mandados de busca e apreensão nos Ceará e em São Paulo. As ordens foram expedidas pela 11ª Vara Federal de Fortaleza.

Segundo a PF, a investigação é desmembramento de ação que tramitou perante o Supremo Tribunal Federal.

A apuração tem como base duas delações que apontaram que um ex-diretor do Banco do Nordeste teria recebido os R$ 200 mil em espécie entregues numa maleta.

COM A PALAVRA, O BANCO DO NORDESTE

“A respeito da Operação Suitcase, deflagrada pela Polícia Federal, hoje, 12 de março, o Banco do Nordeste informa que não é alvo da operação. Reforça que não foi procurado pela Polícia Federal e que tem conhecimento da referida operação, envolvendo um ex-diretor dessa instituição, pela imprensa.

Dessa forma, permanece à disposição das autoridades competentes para, se necessário, prestar quaisquer informações e/ou colaboração. A atual diretoria da instituição reafirma seu  compromisso com todas as regras de conformidade, compliance e melhores práticas de governança dos recursos públicos.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: