PF abre inquérito para investigar compra de MPs e pagamento a filho de Lula

PF abre inquérito para investigar compra de MPs e pagamento a filho de Lula

A LFT Marketing Esportivo recebeu R$ 2,5 milhões da consultoria Marcondes e Mautoni, alvo da Zelotes

Andreza Matais, de Brasília

02 de dezembro de 2015 | 14h29

Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula. Foto: Paulo Pinto/Estadão

Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula. Foto: Paulo Pinto/Estadão

A Polícia Federal instaurou inquérito na terça-feira, 1, para apurar de maneira específica a compra de medidas provisórias nos governos Lula e Dilma. O contrato da consultoria Marcondes e Mautoni, suspeita de ter feito lobby no governo e no Congresso pelas normas legais, com a empresa do filho do ex-presidente Lula, Luís Cláudio Lula da Silva, será investigada neste inquérito. O Estado revelou o esquema de compra de MPs em série de reportagens.

A LFT Marketing Esportivo recebeu R$ 2,5 milhões da consultoria. Segundo as investigações da Operação Zelotes, o trabalho se restringiu a cópia de informações da internet e do site Wikipédia. Para os investigadores, a cópia de “conteúdo disponível na rede social” reforça as suspeitas de que a empresa está envolvida no suposto esquema de compra de medidas provisórias para favorecer montadoras de veículos com inventivos fiscais.

[veja_tambem]

A defesa de Luis Cláudio alega que a empresa prestou de fato uma consultoria de marketing. Mauro Marcondes, dono da Marcondes e Mautoni, está preso. Ele e outros 15 investigados na Zelotes foram denunciados neste domingo pelo Ministério Público Federal.

Na ação penal, a força-tarefa que investiga o caso aponta a prática de crimes como corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, organização criminosa e extorsão. Todos os denunciados pela Procuradoria negam taxativamente envolvimento em irregularidades.

A lista de pedidos da Procuradoria da República inclui a perda dos cargos e a cassação de aposentadoria dos funcionários públicos, o pagamento de, no mínimo, R$ 879,5 milhões como reparação aos cofres públicos e a perda, em favor da União, de R$ 1.581.263,17 decorrentes da prática de lavagem de dinheiro praticada por parte dos denunciados.

COM A PALAVRA, O ESCRITÓRIO TEIXEIRA, MARTINS & ADVOGADOS, QUE DEFENDE O FILHO DE LULA

Em nota, o advogado Cristiano Zanin Martins, do escritório Teixeira, Martins & Advogados, que defende o filho do ex-presidente Lula, reagiu à informação sobre o inquérito da Polícia Federal para investigar Luís Cláudio Lula da Silva. Segundo a defesa, ‘não é lícito submeter o cidadão a múltiplos procedimentos investigativos para apurar o mesmo fato’.

“Os advogados de Luis Cláudio Lula da Silva têm conhecimento até o momento da existência de um inquérito policial na Policia Federal (Inquérito 1.424) e de um Procedimento Investigatório Criminal no âmbito do Ministério Público. Ambos investigam o mesmo fato. As eventuais providências jurídicas decorrentes da abertura de um novo inquérito policial para apurar o mesmo fato serão avaliadas assim que os advogados tiverem a confirmação e a ciência do teor do procedimento. Não é lícito submeter o cidadão a múltiplos procedimentos investigativos para apurar o mesmo fato.”
Cristiano Zanin Martins

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.