PF abre inquérito para apurar incêndio que matou duas pessoas no Hospital Federal de Bonsucesso, no Rio

PF abre inquérito para apurar incêndio que matou duas pessoas no Hospital Federal de Bonsucesso, no Rio

Agentes já foram enviados para realizar diligências e perícia criminal na unidade; Corpo de Bombeiros afirma que indícios apontam que chamas começaram no almoxarifado

Paulo Roberto Netto/SÃO PAULO, Caio Sartori, Marcio Dolzan e Fabio Grellet/RIO

27 de outubro de 2020 | 18h48

A Polícia Federal abriu inquérito para apurar as causas que levaram ao incêndio que atingiu o Hospital Federal de Bonsucesso, na zona norte do Rio. Duas pessoas morreram, sendo que uma delas, uma mulher de 42 anos, estava em estado grave de covid-19 e faleceu durante o processo de transferências dos pacientes para o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari.

Em nota, a PF informa que já deslocou uma equipe de agentes à unidade para a realização de diligências e perícia criminal.

As chamas que atingiram o Bonsucesso começaram no prédio 1 da unidade, no qual estão as enfermarias e o CTI. Ao todo, 162 pacientes deixaram o local, sendo que 66 foram removidos para outros hospitais com o auxílio do Samu. Oito pessoas diagnosticadas com covid-19 foram transferida para o Leblon, na zona sul, e para Acari, incluindo a mulher que morreu.

Paciente sendo retirada de cadeiras de rodas após incêndio que atingiu Hospital Federal de Bonsucesso. Foto: Ricardo Moraes / Reuters

O porta-voz do Corpo de Bombeiros do Rio, coronel Lauro Botto, informou que há indícios que o incêndio tenha começado no almoxarifado do prédio, onde havia um estoque de fraudas. A confirmação, no entanto, deverá vir com o aprofundamento das investigações.

O Hospital de Bonsucesso é considerado o principal dos seis federais do Rio. No início da pandemia, chegou a receber a visita do ex-ministro da Saúde Nelson Teich. A unidade fica em posição estratégica, na Avenida Brasil, o que facilita o atendimento a pacientes de outros municípios, como os da Baixada Fluminense.

Referência em serviços de média e alta complexidade, faz cerca de 15 mil consultas ambulatoriais todo mês, além de 1.300 internações, 1.200 atendimentos de emergência, 120 mil exames laboratoriais e 5 mil exames de imagem.

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia Federalincêndio

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: