PF abre Avidya contra reclamações trabalhistas simuladas no Paraná

PF abre Avidya contra reclamações trabalhistas simuladas no Paraná

Cerca de 40 policiais cumprem oito mandados Judiciais de busca e apreensão expedidos pela 1ª Vara Federal de Ponta Grossa, em Curitiba

Luiz Vassallo

14 Março 2017 | 11h03

Foto: Reprodução/Sindicato dos Delegados da Polícia Federal

Foto: Reprodução/Sindicato dos Delegados da Polícia Federal

A Polícia Federal deflagrou a Operação Avidya nesta terça-feira, 14, para combater uma suposta prática de reclamações trabalhistas simuladas na Vara do Trabalho de Irati, no Paraná. A Federal apura se dois escritórios de advocacia usaram documentos falsificados para quitar centenas de contratos de trabalho diretos e terceirizados de uma empresa de logística a valores irrisórios na região de Irati, no estado do Paraná.

Em nota, a PF informou que cumpre 8 mandados Judiciais de busca e apreensão, expedidos pela 1ª Vara Federal de Ponta Grossa, todos na cidade de Curitiba. Aproximadamente 40 policiais estão empenhados na ação.

As investigações partiram da Procuradoria Regional do Trabalho da 9ª Região de Curitiba, que identificou 602 reclamações trabalhistas simuladas na Vara do Trabalho de Irati.

O suposto conluio entre dois escritórios de advocacia – um deles representando os trabalhadores e o sindicato e outro a empresa de logística – teria sido estabelecido para quitar contratos de funcionários, por meio de reclamatórias simuladas a fim de homologar acordos com valores irrisórios na Justiça do Trabalho, segundo a PF. As partes do processo e o juízo foram ‘iludidos’, aponta a Federal.

A palavra “Avidya”, em sânscrito, que batiza a Operação, significa ignorância, falta de discernimento. O nome foi dado em alusão às condições dos envolvidos, que teriam sido ludibriados pelos suspeitos.

Mais conteúdo sobre:

Operação Avidya