Peritos federais apontam ‘eventos acústicos’ no áudio de Joesley e Temer

Peritos federais apontam ‘eventos acústicos’ no áudio de Joesley e Temer

Em nota pública, Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais recomenda análise da gravação pelo Instituto Nacional de Criminalística, órgão central da perícia da Polícia Federal que detém prestígio por sua alta formação técnica

Julia Affonso, Luiz Vassallo e Fausto Macedo

20 de maio de 2017 | 19h46

Joesley Batista. Foto: Reprodução

A Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais aponta ‘presença de eventos acústicos’ no áudio da conversa do executivo Joesley Batista, da JBS, com o presidente Michel Temer. A entidade recomenda ‘envio imediato’ do áudio e do equipamento gravador ao Instituto Nacional de Criminalística, órgão central de perícia criminal da Polícia Federal.

Os peritos criminais federais têm alta formação técnica e são prestigiados por sua idoneidade e imparcialidade.

“Ao se ouvir o áudio divulgado pela imprensa, percebe-se a presença de eventos acústicos que precisam passar por análise técnica, especializada e aprofundada, sem a qual não é possível emitir qualquer conclusão acerca da autenticidade da gravação”, destaca a entidade dos peritos, em nota pública divulgada neste sábado, 20.

A Associação dos peritos assinala que sem a análise ‘não é possível emitir qualquer conclusão acerca da autenticidade da gravação’. “Ademais, sempre que houver vestígios materiais, é temerária a homologação de delações sem a devida analise pericial.”

“Cabe destacar, ainda, ser inaceitável que, tendo à disposição a Perícia Oficial da União, que possui os melhores especialistas forenses em evidências multimídia do país, não se tenha solicitado a necessária análise técnica no material divulgado; permitindo que um evento de grande importância criminal para o país venha a ser apresentado sem a qualificada comprovação científica”, argumenta a entidade dos peritos criminais federais.

A Associação diz estar convencida de que ‘tudo será devidamente esclarecido quando forem realizados os necessários exames periciais por perito oficial”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.