Peritos da PF de Brasília vão ajudar a investigar acidente de Campos

Equipe segue nesta tarde para a cidade e vai colaborar com grupo de técnicos que já está no local

Fausto Macedo

13 de agosto de 2014 | 14h30

A Polícia Federal decidiu abrir inquérito para investigar as causas do acidente que matou Eduardo Campos, na cidade de Santos, litoral paulista. O diretor geral da PF, delegado Leandro Daiello, determinou que o inquérito seja aberto na Superintendência da corporação em São Paulo. A competência para investigar acidentes aéreos é da PF.

Cerca de 11 peritos da PF estão sendo enviados para Santos, na tarde desta quarta-feira, 13, para colaborar com as investigações do acidente que matou o ex-candidato à Presidência pelo PSB.

Trata-se de uma equipe multidisciplinar do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal, de Brasília ,integrada por peritos com alta qualificação, desde especialistas em DVI (Identificação de Vítimas e Desastres Aéreos) e técnicos em DNA.

Os peritos vão colaborar com o grupo de técnicos da PF em Santos, e da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Eles irão para Santos acompanhados do delegado Roberto Troncon, superintendente regional da PF em São Paulo.

Eduardo Campos, não tinha escolta da Polícia Federal. Ele próprio recusou a segurança dos agentes federais. Na ocasião, o então candidato não justificou a recusa.

Todos os candidatos à Presidência têm direito e a PF oferece segurança. Apenas os candidatos Aécio Neves (PSDB)e o pastor Everaldo (PSC) têm utilizado a escolta da PF.

A presidente Dilma Roussef, por sua vez, recebe proteção do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

 

Mais conteúdo sobre:

Eduardo CamposPolícia FederalSantos