Perícia aponta fraude em 9 de cada 10 financiamentos agrícolas do BB

Perícia aponta fraude em 9 de cada 10 financiamentos agrícolas do BB

Operação Turbocred, da Polícia Federal em parceria com o Banco do Brasil, revela que, entre 2012 e 2015, instituição financeira contratou 5.519 operações na região de Ribeirão Preto, somando R$ 7,3 bilhões, e que o volume de recursos das transações identificadas como irregulares representa apenas 0,6% do total liberado aos clientes

Julia Affonso e Fausto Macedo

31 de outubro de 2017 | 11h55

Foto: Paulo Vitor/Estadão

Laudo pericial da Polícia Federal revela que, de cada 10 contratos de financiamentos agrícolas operados pelo Banco do Brasil na região de Ribeirão Preto (SP), 9 foram marcados por fraudes, entre 2012 e 2015. Os prejuízos, segundo investigação interna do próprio BB, alcançam R$ 44 milhões.

Os dados foram revelados na Operação Turbocred, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira, 31. Os policiais cumprem 39 mandados de buscas em São Paulo, Minas, Mato Grosso, Espírito Santo e Goiás. A PF faz batidas em residências de tomadores de empréstimos fraudulentos, funcionários e ex-funcionários do BB, e de ‘laranjas’.

OUTRAS DO BLOG: + Moro autoriza provas da Odebrecht em investigação sobre palestras de Lula

+Executivos da Gerdau viram réus na Zelotes

Tribunal de Contas da Bahia paga R$ 10 mil para 3 servidores na Olimpíada de Brasília

Olimpíada não tem ‘relação com atividade-fim’ do Tribunal de Contas, diz Corte do RS

PF aponta desvio de R$ 2 mi da merenda de 52 escolas do Amapá

O delegado Victor Hugo, que comanda a missão da PF, destacou que os peritos criminais federais analisam contratos de financiamentos que somam R$ 59 milhões. A perícia foi realizada com base em documentos – contratos de financiamentos agrícolas – recolhidos na primeira fase da Turbocred, em 2016.
Victor Hugo ressaltou que os fraudadores agiam em duas frentes, pelo menos.

Um primeiro grupo fazia contrato falso de arrendamento de terras, mas de fato não detinha posse nem domínio da área. Ainda assim obtinha sinal verde para o financiamento. “A atividade agrícola nunca existia, eles embolsavam o dinheiro”, afirma o delegado.

Um segundo núcleo de golpistas atuava de outra forma. Esses investigados até tinham a propriedade das terras, mas os imóveis eram arrendados para terceiros que tomavam empréstimos – da mesma forma, porém, não desenvolviam nenhuma atividade agrícola.

A PF constatou que 90% dos contratos eram fraudados.

Simultaneamente às investigações da PF, o Banco do Brasil fez uma apuração interna e verificou prejuízos de R$ 44 milhões em decorrência desses contratos.

COM A PALAVRA, O BANCO DO BRASIL

“Sobre a operação Turbocred da Polícia Federal, o Banco do Brasil esclarece que entre 2012 e 2015 contratou 5.519 operações na região de Ribeirão Preto, somando R$ 7,3 bilhões.”

“O volume de recursos das operações identificadas como irregulares pela PF representa, portanto, apenas 0,6% do total liberado aos clientes do Banco do Brasil.”

“O BB reforça seu protagonismo como principal parceiro e agente do desenvolvimento do agronegócio brasileiro e ressalta a constante evolução da sua governança para garantir a qualidade do crédito.”

Tudo o que sabemos sobre:

Banco do BrasilPolícia Federal

Tendências: