Pelé

Pelé

João Linhares Júnior*

23 de outubro de 2020 | 13h30

João Linhares Júnior. FOTO: DIVULGAÇÃO

Nascera no interior de Minas Gerais,

E somente com três corações pulsantes é que poderia ter aquele fôlego!

Genial, espetacular, fenomenal ou extraterrestre,

Qual seria o melhor adjetivo para qualificá-lo?

As línguas e os dialetos ainda não contemplaram o vocábulo mais preciso para

um dom inefável, incomparável…

Extasiou o mundo com seu talento e com a bola,

Que parecia estar grudada em seu peito, em seus pés,

Tamanha a intimidade com ela.

Podia criar o que quisesse, pois ela sempre lhe obedecia.

Eram amantes e cúmplices!

E a pelota o amava loucamente.

Era-lhe um deus de ébano,

Um Apolo que a fazia reluzir e ser adorada!

Ele correspondia, dando-lhe rumos certeiros,

Conduzindo-a pelo imenso salão verde,

Numa valsa que sempre enlevava quem assistia ao baile.

E o gingado de ambos redundava em lances inusitados, extraordinários, comoventes!

Com a camisa verde-amarela, ele tomou o mundo,

E mesmo os adversários paravam para contemplá-lo.

Pelé no jogo contra o América do Rio, em 21/11/1961. FOTO: ARQUIVO/ESTADÃO

Conseguiu cessar uma guerra civil na Nigéria.

Naquele momento, os canhões cederam ao perfume das oliveiras,

Que lhe era imanente. Era, de fato, um vitorioso!

Os soldados, na plateia, não gritavam morte!

Torciam pela vida e se abraçavam,

Ovacionando o seu nome.

Tornou o brasileiro altivo

E o fez orgulhoso de sua pátria, ufanista até,

Espancando o complexo de vira-lata.

Envergou títulos por onde pairou – sim, ele voava,

Afinal, veio à luz no dia do aviador e fazia jus à data.

Tal qual Hermes, com asas nos pés,

Atingiu o pináculo com extrema velocidade.

Sob sua regência, o globo girava mais vagarosamente,

Pois ali estava a estrela fulgurante, que o atraía e em torno do qual girava a redonda.

Mas ele não é apenas nosso, não é só brasileiro,

Ele é o que há de melhor, no esporte, que produziu a nossa espécie.

É um patrimônio de todos!

Um astro cuja luz resplandecerá perenemente e iluminará os fartos campos

De nosso imaginário e de nossos sonhos.

Ave, Pelé! Um césar (eleito) dos gramados!

*João Linhares Júnior, promotor de Justiça do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul. Mestre em Garantismo e Processo Penal pela Universidade de Girona/Espanha e pós-graduado em Jurisdição Constitucional e Direitos Fundamentais pela PUC/RJ

Tudo o que sabemos sobre:

ArtigoPelé

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: