Paulo Dimas é o novo presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo

Paulo Dimas é o novo presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo

Desembargador recebeu 188 votos, 45 a mais que seu oponente, Eros Piceli; ele comandará o maior Tribunal estadual do País nos próximos dois anos, com orçamento de R$ 10 bilhões para 2016

Fausto Macedo e Julia Affonso

02 de dezembro de 2015 | 13h02

Paulo Dimas. Foto: TJ/SP

Paulo Dimas. Foto: TJ/SP

O Tribunal de Justiça de São Paulo elegeu nesta quarta-feira, 2, seu novo presidente para o biênio 2016-2017, o desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti. Ele recebeu 188 votos, um total de 45 a mais de seu oponente, o desembargador Eros Piceli (143 votos).

Aos 60 anos, Paulo Dimas integra o Órgão Especial da Corte, maior e mais importante Tribunal de Justiça Estadual do País, com um quadro de 356 desembargadores.

Após ser conclamado para o cargo de mandatário do TJ paulista, Paulo Dimas disse a seus pares que vai lutar por um ‘Judiciário forte, independente e, principalmente, respeitado’.

[veja_tambem]

Ele convocou a todos os integrantes da Corte, magistrados e servidores a se unirem.  Prometeu uma ‘gestão participativa e transparente’.

O Tribunal de Justiça de São Paulo mantém um quadro com 356 desembargadores, 2045 juízes de primeira instância e 44 mil servidores, mais 15 mil terceirizados e estagiários.

O novo presidente vai mergulhar em uma antiga batalha por um orçamento mais generoso, na casa dos bilhões, suficiente para cobrir as despesas do gigante do Judiciário. Em 2015, o orçamento da Corte alcançou R$ 9.335.275.110,00.

O projeto encaminhado para a Assembleia Legislativa prevê para 2016 orçamento de R$ 10.067.423.277,00.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Paulo DimasTJSP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.