Paulo Bernardo chega à PF para depor na Operação Custo Brasil

Paulo Bernardo chega à PF para depor na Operação Custo Brasil

Ex-ministro do Planejamento no governo Lula é investigado por suspeita de recebimento de propinas de R$ 7,1 milhões de esquema com empréstimos consignados

Fausto Macedo, Julia Affonso e Mateus Coutinho

19 de julho de 2016 | 17h02

Paulo Bernardo é ex-ministro do Planejamento (Governo Lula) e das Comunicações (Governo DIlma). Foto: JF Diorio/Estadão

Paulo Bernardo é ex-ministro do Planejamento (Governo Lula) e das Comunicações (Governo DIlma). Foto: JF Diorio/Estadão – 29-06-2016

O ex-ministro Paulo Bernardo (Planejamento/Governo Lula) acaba de chegar à Polícia Federal em São Paulo para depor no inquérito da Operação Custo Brasil.

Paulo Bernardo foi preso pela PF no dia 23 de junho, sob suspeita de recebimento de propinas de R$ 7,1 milhões de um esquema de empréstimos consignados no âmbito do Ministério do Planejamento. O caso ficou conhecido como esquema Consist – empresa de software contratada para administrar os consignados.

No dia 29, o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF) mandou soltar Paulo Bernardo.

A Custo Brasil investiga suposto desvio de R$ 100 milhões de empréstimos consignados no âmbito do Planejamento, desde 2010 (gestão Paulo Bernardo). Por meio de seus advogados, ele nega categoricamente ligação com o esquema Consist.

Tudo o que sabemos sobre:

Operação Custo BrasilPaulo Bernardo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.