Pau na Gata da PF apreende R$ 260 mil em sindicato investigado por extorsões e ameaças

Pau na Gata da PF apreende R$ 260 mil em sindicato investigado por extorsões e ameaças

Expressão que batiza a operação se refere a termo membros do sindicato para se referir à extorsão praticada contra empregados ou representantes de empresas; investigadores também apreenderam arma com silenciador na sede da entidade

Luiz Vassallo

25 de outubro de 2019 | 05h25

Sintricom. Foto: Google Street View

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta, 23, a Operação Pau na Gata, que mira supostas extorsões, ameaças e crimes contra organização do trabalho por representantes do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil, Mobiliário e Montagem Industrial de São José dos Campos e Litoral Norte – SINTRICOM. Na sede da entidade, foram apreendidos R$ 260 mil, além de uma pistola com silenciador e munições, entre outros materiais.

Segundo a PF as investigações ‘tiveram início após denúncias formuladas por várias empresas terceirizadas prestadoras de serviço à REVAP, em São José dos Campos/SP’.

Os investigadores relatam que, segundo as denúncias, ‘a ação do sindicato era extremamente violenta, incluindo depredação de ônibus e de veículos particulares, ataques às residências de empregados das empresas, inclusive com disparos de arma de fogo, descumprimento de interditos proibitórios da Justiça do Trabalho, dentre outras’.

“O nome “PAU NA GATA”, utilizado para batizar a operação, é referente à expressão utilizada por membros do sindicato para se referir à extorsão praticada contra empregados ou representantes das empresas. Na presente data foram cumpridos mandados de busca e apreensão, nas sedes do sindicato em São José dos Campos/SP e Caraguatatuba/SP”, explica a PF.

A PF afirma que em São José dos Campos/SP, foram apreendidos, na sede do sindicato, R$ 260.000,00 (duzentos e sessenta mil reais) em dinheiro, uma pistola com silenciador e com numeração raspada, munições para a pistola, um bloqueador de sinais de celular, computadores e documentos.

“As investigações terão seguimento com análise do material apreendido, audiências e levantamento de outras provas eventualmente necessárias ao cabal esclarecimento dos fatos. Seguem, em anexo, fotos da apreensão ocorrida em São José dos Campos/SP”, diz a PF.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: