Para evitar interrupção das investigações, Janot e Raquel fazem primeira ‘reunião de transição’

Para evitar interrupção das investigações, Janot e Raquel fazem primeira ‘reunião de transição’

Procurador-geral da República e sua sucessora se encontraram nesta segunda-feira, 14, com as equipes de confiança para discutir a dinâmica dos trabalhos e estabelecer cronograma

Breno Pires e Rafael Moraes Moura, de Brasília

14 Agosto 2017 | 19h45

Rodrigo Janot e Raquel Dodge. FOTO: Antonio Cruz/Agência Brasil

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e a subprocuradora-geral da República Raquel Dodge, que o sucederá no cargo, realizaram nesta segunda-feira, 14, a primeira reunião de transição em que os dois participaram. Juntamente com as respectivas equipes, eles discutiram a dinâmica dos trabalhos e estabeleceram cronograma dos próximos encontros.

As informações foram divulgadas pela Assessoria de Comunicação Estratégica da Procuradoria.

Para Janot, essas reuniões são de ‘suma importância para evitar descontinuidade das investigações em curso no Gabinete do Procurador-Geral da República, bem como de outros processos judiciais e extrajudiciais de áreas como constitucional, cível, tutela coletiva e cooperação internacional’.

“As equipes trabalham de forma profissional e visando o interesse público. O Ministério Público sai fortalecido com isso” , disse o procurador-geral que exerceu o cargo nos últimos quatro anos.

O mandato de Rodrigo Janot termina em 17 de setembro e a posse da nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, está marcada para 18 na sede da PGR.