Pandemia: empresas tiveram de se adaptar e nunca mais serão as mesmas

Pandemia: empresas tiveram de se adaptar e nunca mais serão as mesmas

Flávio Hideo Mikami*

29 de julho de 2020 | 07h30

Flávio Hideo Mikami. FOTO: ARQUIVO PESSOAL

Empreender nunca foi fácil. Com a pandemia do novo coronavírus, ficou ainda mais difícil. Antes do isolamento social, as empresas já enfrentavam, cada uma em seu ritmo, a quebra de um paradigma gigantesco na cultura empresarial: conceitos como colaboração, inovação, criatividade e educação emocional tomavam grandes proporções, como princípios de gestão operacional.

E o que essa crise – causada pela necessidade do distanciamento/isolamento social – nos apresentou novo?

Na prática, a pandemia apenas antecipou demandas que já estavam em curso: questionamentos sobre consumismo, lucro a qualquer custo e, até mesmo, dúvidas mais profundas sobre nossos papéis na sociedade e os valores que nos são preciosos. Solidariedade, empatia, responsabilidade e sustentabilidade deixam de ser “para inglês ver” e precisam ser materializados nas relações entre pessoas, marcas, produtos e serviços.

Os empresários, empreendedores e autônomos sentem a dificuldade de confrontar crenças e adaptar suas equipes, processos e modelos de negócios para uma nova realidade que:

– apresenta hábitos de consumo revisados, que levam em consideração o valor concedido e o impacto causado;

– os espaços de varejo precisarão engajar, passar segurança, criar experiências e novas formas de entregar experiências significativas;

– novas maneiras de trabalho (remoto/tele trabalho), redução de inúmeros postos de trabalho e criação de tantos outros em áreas que ainda não conhecemos;

– mudanças significativas na logística (pessoas evitando deslocamentos, busca pelo consumo de produtores locais e mais próximos);

Independentemente desse isolamento, quem ainda não estava atento a essas mudanças, não pode mais esperar. Riscos e crises fazem parte da vida de qualquer empresário e empreendedor. A única certeza que temos é que aqueles que sobrevivem, saem mais fortes, relevantes e significativos para o mercado. É hora de se transformar e preparar seus times, processos e entregas para essa nova realidade.

*Flávio Hideo Mikami, especialista em economia criativa e proprietário do Espaço 365, 365.Be, Ronaldo Academy, Plantestilo, Kawa Fish, Nano Garden e Top Troféus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.