Pandemia e o papel dos deputados no combate à covid-19

Pandemia e o papel dos deputados no combate à covid-19

Carla Morando*

10 de maio de 2020 | 10h30

Carla Morando. FOTO: RICARDO CASSIN

Quando escolhemos a vida política, assumimos dois compromissos: o de lutar pelos interesses da população e do município e Estado que representamos. Esse pacto inicia durante a campanha eleitoral e perdura ao longo do mandato. Em um período como este, diante desta pandemia do novo coronavírus, me questiono sobre o papel que os parlamentares devem desempenhar para auxiliar no combate à doença.

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou, na última semana, um corte de verbas de R$ 320 milhões, para auxiliar no combate a pandemia. Entre as medidas aprovadas, está a redução em 30% dos salários dos deputados estaduais. Eu votei sim, sou completamente a favor da proposta. Inclusive, desde o início da Pandemia, eu e meu marido, o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, estamos doando integralmente os nossos salários para o Fundo Social de Solidariedade, para compra de comida e de materiais de higiene pessoal a quem precisa.

No Brasil, já temos mais de 100 mil pessoas diagnosticadas com o vírus e mais de 8 mil óbitos confirmados. Grande parte desses números está em São Paulo. O Estado no qual fui eleita como deputada estadual se tornou o ponto mais crítico da doença no Brasil. O governo está tomando as medidas necessárias para prevenir e proteger a população. Mas, nós, parlamentares, temos um compromisso moral com o povo. E politizar uma doença como essa, significa o mesmo que virar as costas para as pessoas que nos elegeram. Enquanto não existir uma forma de cura contra o coronavírus, o isolamento social é a única forma de proteger aqueles que amamos.

Não adianta ser favorável ao corte de verbas, se não for favorável a vida. Não adianta votar sim e no dia seguinte ir contra as medidas preconizadas pela Organização Mundial de Saúde, a OMS. Fomos eleitos, para cuidar de vidas e temos que levar esse preceito com mais responsabilidade.

Entre vidas e votos, eu prefiro vidas.

Sou sobrevivente ao coronavírus. Vi essa doença de perto. Ela atingiu meu marido e nossos filhos e sei o quão perigosa é. Além de parlamentar, sou fisioterapeuta e profissional da saúde. E lutarei com responsabilidade para proteger aqueles que amo e os desconhecidos também.

*Carla Morando, deputada estadual e líder do PSDB na Assembleia Legislativa de São Paulo

Tudo o que sabemos sobre:

Artigocoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.