Pai do promotor que quer Lula na cadeia é alvo de xingamentos no Twitter

Pai do promotor que quer Lula na cadeia é alvo de xingamentos no Twitter

Nelson Conserino, promotor de Justiça aposentado e pai do promotor Cassio Conserino que acusa ex-presidente de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica no caso tríplex, é hostilizado na rede

Julia Affonso e Fausto Macedo

13 de março de 2016 | 14h56

Cassio Conserino. Foto: Reprodução

Cassio Conserino. Foto: Reprodução

Nelson Conserino, pai do promotor que denunciou o ex-presidente Lula, sua mulher Maria Letícia e seu filho Fábio Luiz Lula da Silva por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica envolvendo o tríplex no Guarujá foi chamado de “cínico” e “covarde” no Twitter.

Na postagem, o usuário @Caribé dirigiu os xingamentos a Nelson, que é promotor aposentado,ao retweetar uma postagem do usuário @RegisGalo13 que falava: “Conheça @NCons (perfil de Nelson Conserino na rede), promotor aposentado do MPSP q espalha no FB mentira de ‘fazenda de Lula’ na Argentina”. O Tweet ainda menciona o perfil oficial da torcida organizada de corintianos, Gaviões da Fiel.

CONFIRA AS POSTAGENS:

paiconserino

Conserino vem sendo alvo de duras críticas do PT e aliados de Lula após denunciar e pedir a prisão preventiva do ex-presidente protocolada na última quarta-feira, 9. A Promotoria sustenta que o petista cometeu os crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica ao supostamente ocultar a propriedade do imóvel – oficialmente registrado em nome da OAS. A juíza da 4ª Vara Criminal da capital paulista, Maria Priscila Ernandes, responsável pelo caso, afirmou que a denúncia ‘é de elevada repercussão social, com requerimento de medidas cautelares sérias’ e decretou segredo de Justiça no caso.

[veja_tambem]

A acusação tem base em longa investigação realizada pelos promotores Cássio Conserino e José Carlos Blat. O promotor afirma ter indícios de que houve tentativa de esconder a identidade do verdadeiro dono do tríplex, o que, segundo ele, caracteriza lavagem de dinheiro.

A investigação mostrou que a empreiteira OAS bancou uma reforma sofisticada do apartamento., ao custo de R$ 777 mil. Segundo o engenheiro Armando Dagre, sócio-administrador da Talento Construtora, contratada pela OAS, os trabalhos foram realizados entre abril e setembro de 2014.

Em 2006, quando se reelegeu presidente, Lula declarou à Justiça eleitoral possuir uma participação em cooperativa habitacional no valor de R$ 47 mil. A cooperativa é a Bancoop que, com graves problemas de caixa, repassou o empreendimento para a OAS.

Lula apresentou sua defesa por escrito no inquérito da Promotoria. O petista afirma que não é o dono do tríplex.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Cassio ConserinoLulaNelson Conserino

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: