Ouça o ‘tico-tico’ de Beto Richa

Áudio da Operação Rádio Patrulha mostra ex-governador do PSDB do paraná, e candidato ao Senado, comentando atraso de pagamento de propina

Julia Affonso

13 Setembro 2018 | 05h10

“Ah! Ele me agradeceu, “já entrou um tico-tico lá que tava atrasado, obrigado”, afirmou Beto Richa (PSDB) ao doleiro Tony Garcia, sobre um suposto atraso de ‘pagamento’ de propina a respeito do qual conversavam. A conversa foi gravada por Tony, que é delator da Lava Jato. O áudio é um dos indícios que fundamentaram a prisão do tucano decretada pelo juiz Fernando Bardello Silva Fischer, da 23ª Vara do Paraná.

OUÇA OS ÁUDIOS DO DELATOR:

Candidato ao Senado pelo PSDB, Richa foi preso na manhã desta terça-feira, 11, em Curitiba, na Operação Radiopatrulha do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná. Também foram presos Fernanda Richa, mulher do tucano, Pepe Richa, irmão do candidato, e Deonilson Roldo, ex-chefe de gabinete do Estado.

As prisões estão relacionadas a investigações sobre o Programa Patrulha do Campo, para manutençãde estradas rurais, 2012 e 2014. Segundo o inquérito, há indícios de direcionamento de licitação para beneficiar empresários e pagamento de propina a agentes públicos, além de lavagem de dinheiro e obstrução da Justiça.

No mesmo dia o juiz federal Sérgio Moro também mandou prender aliados dos tucanos no âmbito da Operação Piloto, que investiga um suposto pagamento milionário de vantagem indevida, em 2014, pelo Setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht, o departamento de propina da empreiteira, para agentes públicos e privados no Estado do Paraná