Os benefícios do exercício físico: é possível se manter ativo nas férias em época de pandemia?

Os benefícios do exercício físico: é possível se manter ativo nas férias em época de pandemia?

Mateus Carmo*

20 de dezembro de 2020 | 04h00

Mateus Carmo. FOTO: DIVULGAÇÃO

Estamos chegando ao final de 2020, ano marcado pela pandemia do novo coronavírus (SARS-COV-2), o causador do COVID-19, o que desencadeou a tomada de diversas medidas visando a controlar o avanço dessa nova doença. O distanciamento social, juntamente com a redução da oferta de atividades não essenciais, cancelamento de eventos e atividades escolares presenciais acarretou negativamente na saúde física e mental de diversas pessoas, levando ao aumento nos casos de ansiedade e depressão, ganho de peso corporal, de hábitos alimentares ruins e redução do nível de atividade física da população mundial.

Sabe-se que a prática de atividade física é um importante aliado na manutenção e melhoria da saúde da população em que fortalece o sistema imunológico, combate a ansiedade e depressão, reduz níveis de pressão arterial, glicemia e de colesterol, auxilia no processo de emagrecimento, protege contra o surgimento de doenças cardiovasculares, além de recentemente um estudo brasileiro apresentou resultados de que as pessoas que atingiam a recomendação mínima de atividade física tinham um risco reduzido de 34% de hospitalização pelo COVID-19 e se o indivíduo praticasse dois ou mais tipos de exercícios a redução na hospitalização foi de 46,2%.
No último mês, a OMS1 publicou uma nova diretriz que estabelece que as pessoas devem realizar um intervalo de 150 a 300 minutos de atividade física moderada e 75 a 150 minutos de atividade física vigorosa, sendo que a recomendação de 2010 eram de pelo menos 150 e 75 minutos de atividade física moderada e vigorosa, respectivamente.

Diante do exposto e de diversas informações sobre a pandemia e dos benefícios de atividade física, bem como a proximidade das férias de final de ano, as pessoas irão ficar mais em casa e consequentemente vão aumentar os comportamentos sedentários (tempo sentado e deitado) e reduzir ainda mais os níveis de atividade física, tornando-se mais propensos a adoecimentos, apresentamos a seguir algumas dicas de como se manter ativo nas férias na época de pandemia respeitando todos os protocolos de distanciamento, e uso de máscara e álcool para assepsia:

 Andar de bicicleta com os familiares, seja na cidade onde reside ou uma outra cidade para descansar um ano conturbado;
 Realizar corridas e caminhadas ao ar livre para espairecer a mente, além de aumentar os níveis de hormônios saudáveis relacionado a prática;
 Pode-se também praticar esportes com as pessoas da família, como o Frisbee adaptado, que tem o objetivo de lançar um disco entre as pessoas para diversos lados e tentar pegar o disco;
 Caso façam uma viagem para cidades praianas, pode-se praticar o Frescobol, que se caracteriza em uma disputa entre ataque e defesa entre duas pessoas com o uso de suas raquetes e uma bola de borracha;
 Se divertir com a prática da Dança por meio de meios digitais, como vídeo aulas em diversas plataformas digitais;
 Utilizar nos jogos eletrônicos o recurso de sensores de movimentos corporais, em que as pessoas podem escolher diversos tipos de jogos com movimentos corporais para aumentar o gasto energético;
 Os Jogos de realidade virtual também é uma proposta para movimentar o corpo humano;
 E também pode-ser treinar em casa, especificamente a realização de um treinamento funcional, pois é possível realizar sem equipamentos específicos e utilizar o próprio peso corporal.

Existem diversas formas para aproveitar o tempo livre nesse período com a realização de atividades físicas que irão proporcionar momentos de muita diversão, além de ajudar a evitar a ingestão em excesso de comida que nessa época de fartura.

*Mateus Carmo, professor e coordenador do curso de Educação Física da UniFG, Mestre em Ciências do Movimento Humano (UDESC-SC) e Doutorando em Ciências da Saúde (UESB-BA)

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.