Orlando Geraldi elege ‘transformação digital’ como prioridade na presidência do Tribunal de Justiça Militar de São Paulo

Orlando Geraldi elege ‘transformação digital’ como prioridade na presidência do Tribunal de Justiça Militar de São Paulo

Juiz assume nesta sexta-feira, 25, a gestão da Corte para o biênio 2022-2023

Redação

24 de março de 2022 | 16h58

Orlando Eduardo Geraldi foi comandante da PM de São Paulo antes de ser nomeado juiz do Tribunal Militar do Estado. Foto: Divulgação

O juiz Orlando Eduardo Geraldi assume nesta sexta-feira, 25, a presidência do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo (TJMSP) para o biênio 2022/2023.

A expectativa é que a gestão priorize a consolidação do processo de transformação digital, impulsionado com a pandemia.

“Para ampliar e facilitar o acesso à Justiça Militar, agilizar a tramitação dos processos, aprimorar a governança institucional e alcançar a excelência na gestão, de forma a assegurar os direitos do cidadão”, afirma o presidente.

Também serão empossados os juízes Paulo Adib Casseb como vice-presidente, Enio Luiz Rossetto como corregedor-geral, Silvio Hiroshi Oyama como diretor da Escola Judiciária Militar e Clovis Santinon como ouvidor.

A Corte tem competência para processar e julgar os policiais militares e bombeiros do Estado de São Paulo tanto na esfera disciplinar, o que pode implicar na perda do posto e da patente para os oficiais ou da graduação para os praças, quanto nos crimes militares definidos em lei. A exceção é para casos de competência do júri quando a vítima for civil.

O tribunal é composto por sete magistrados togados em primeira instância e outros sete em segunda instância, onde funcionam duas câmaras e o pleno.

Perfil

Orlando Eduardo Geraldi entrou na Academia de Polícia Militar do Barro Branco em 1975. Antes de assumir o cargo de juiz no Tribunal Militar, em 2008, passou por unidades de policiamento ostensivo, trânsito, ambiental e no centro de capacitação da corporação. Também chegou a servir nas assessorias militares das Secretarias de Educação, Agricultura e Casa Militar. Ainda foi comandante da PM.

Formado em Direito pelas Faculdades Integradas de Guarulhos (FIG), Geraldi foi membro de Conselhos de Disciplina e de Justificação, bem como de Conselhos Especiais de Justiça na Justiça Militar Estadual Paulista. É também bacharel em Educação Física pela Escola de Educação Física da Polícia Militar, com especialização em Metodologia do Treinamento pela Universidade de São Paulo (USP).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.