Operação Miserere Nobis combate fraude na Santa Casa de São Sebastião do Paraíso (MG)

Operação Miserere Nobis combate fraude na Santa Casa de São Sebastião do Paraíso (MG)

Investigação mira em convênios firmados entre o Ministério da Saúde e a Santa Casa, entre 2007 e 2013, para compra de equipamentos usados em procedimentos de média e alta complexidade; prejuízo é de R$ 1,32 milhão

Fausto Macedo e Julia Affonso

30 de agosto de 2016 | 10h43

Foto: Reprodução/Google Streetview

Foto: Reprodução/Google Streetview

O Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle (MTFC) a Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF) deflagraram nesta terça-feira, 30, em Minas Gerais, a Operação Miserere Nobis. A ação busca desarticular um grupo que teria fraudado licitações na Santa Casa de Misericórdia de São Sebastião do Paraíso.

Segundo a Pasta, a operação teve como base fiscalização realizada pela Transparência (ex-Controladoria-Geral da União) em 2014. A investigação mirou em convênios firmados entre o Ministério da Saúde e a Santa Casa, no período de 2007 a 2013, para compra de equipamentos usados em procedimentos de média e alta complexidade.

Entre as irregularidades apontadas pelo Ministério da Transparência estão simulação e direcionamento de processos licitatórios; superfaturamento; conluio entre funcionários do hospital e da empresa vencedora; falsificação de documentos; e fraudes em prestações de contas. O potencial prejuízo, segundo a Pasta, aos cofres públicos é de R$ 1,32 milhão.

A Operação cumpre de quatro mandados de busca e apreensão nos municípios de São Sebastião do Paraíso, Lavras e na capital Belo Horizonte. A ação tem a colaboração de oito servidores do Ministério da Transparência e 16 policiais federais.

A cidade de São Sebastião do Paraíso tem 70 mil habitantes e fica a cerca de 400 quilômetros de Belo Horizonte.

Tudo o que sabemos sobre:

Operação Miserere Nobis

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.