Operação Le Coq investiga fraude na contratação de empresas pelo governo de Angola

Operação Le Coq investiga fraude na contratação de empresas pelo governo de Angola

Sessenta policiais federais cumprem 12 mandados de busca e apreensão em imóveis residenciais e comerciais na Barra da Tijuca e no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste da capital fluminense

Julia Affonso e Fausto Macedo

14 de junho de 2017 | 13h28

Polícia Federal. Foto: JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/

A Polícia Federal, em parceria com o Ministério Público Federal e em cooperação internacional com autoridades da França, deflagrou a Operação Le Coq nesta quarta-feira, 14, para cumprir 12 mandados de busca e apreensão no Rio. A investigação apura a utilização de intermediários em contratos entre o governo de Angola e empresas estrangeiras mediante pagamento de vultosas comissões.

Em nota, a Federal informou que os investigados cobravam percentual de até 35% ‘para a obtenção dos contratos que seriam firmados com a administração do país africano, corrompendo agentes públicos’.

Sessenta policiais federais cumprem as ordens expedidas pela 9ª Vara Federal do Rio de Janeiro em imóveis residenciais e comerciais na Barra da Tijuca e no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste da capital fluminense.

O grupo é acusado de corrupção de agente público estrangeiro, falsificação de documentos públicos e outros crimes.

O nome da operação faz referência ao símbolo da França, o galo.

Mais conteúdo sobre:

Polícia FederalOperação Le Coq