Operação Farsa investiga tráfico e morte de agente da PRF por policiais civis em Roraima

Ivo Seixas Rodrigues, da Polícia Rodoviária Federal, foi morto durante abordagem policial em quarto de hotel; a Polícia Federal investiga suposto flagrante forjado e o envolvimento dos policiais que o mataram com tráfico de drogas

Luiz Vassallo

21 de abril de 2018 | 15h24

A Polícia Federal em Roraima deflagrou neste sábado, 21, a Operação Farsa para investigar suposto envolvimento de policiais civis com tráfico interestadual de drogas e com a morte do agente da Polícia Rodoviária Federal Ivo Seixas Rodrigues. Foram autorizados oito mandados de busca e apreensão e seis de prisão temporária pela Justiça Estadual de Roraima em Boa Vista e Mucajaí.

Segundo a PF, por meio de nota, ‘a investigação teve início após divulgação de nota oficial da Polícia Civil de Roraima, na qual indicava haver participação de policial rodoviário federal em crime de tráfico interestadual de drogas’.

Seixas foi morto durante abordagem dos policiais civis que entraram no quarto de hotel em que estava hospedado e o apontaram como suspeito do crime. Na ocasião, a Polícia Civil divulgou nota oficial afirmando que com ele foram encontrados 25 kg de drogas.

No âmbito da Operação Farsa, a PF afirma que que há indícios, no entanto, de que o flagrante foi forjado e provas foram manipuladas.

A PF diz investigar ‘o envolvimento de nove investigados, sendo cinco deles policiais civis, em crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas, organização criminosa, obstrução de justiça, tortura, fraude processual e homicídio, sem que aparecesse qualquer indício da participação criminosa de servidor federal’.

“Os envolvidos são investigados pelos crimes de homicídio, fraude processual, tráfico de drogas, associação para o tráfico, obstrução à investigação de organização criminosa e tortura. O material relacionado aos fatos da ocorrência policial dos dias 07 e 08 de abril de 2018 está sendo apreendido e será analisado juntamente com as demais possíveis provas colhidas nesta data”, afirma a PF.

A Polícia Federal também afirma que a Corregedoria da Polícia Civil ‘foi comunicada sobre a operação para acompanhamento e tomada de medidas cabíveis’. “Foi determinado pela Justiça, ainda, o afastamento de um policial civil do cargo público. Um outro investigado foi preso, no último domingo (15), pela Polícia Federal no Rio de Janeiro/RJ”.

COM A PALAVRA, A SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA DE RORAIMA

A reportagem entrou em contato com a pasta. O espaço está aberto para manifestação.

Tudo o que sabemos sobre:

Operação Farsa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.