Operação Carbonara Chimica, que cerca Mantega

Leia a representação da força-tarefa da Lava Jato pela prisão do ex-ministro da Fazenda de Lula e Dilma, do ex-chefe jurídico da Odebrecht, Maurício Ferro, e do advogado Nilton Serson no esquema de propinas milionárias da empreiteira em troca de Medidas Provisórias

Luiz Vassallo, Pedro Prata, Pepita Ortega e Fausto Macedo

21 de agosto de 2019 | 18h27

Cerca de 40 Policiais Federais participam da ação e cumprem ainda 11 mandados de busca e apreensão em São Paulo e na Bahia. Foto: PF/Divulgação

Nesta quarta-feira, 21, a Operação Lava Jato chegou a sua etapa de número 63, e pôs a PF nas ruas para cumprir mandados de prisão contra o ex-chefe jurídico da Odebrecht, Maurício Ferro, e o advogado Nilton Serson, no âmbito de investigação sobre supostas propinas da empreiteira relacionadas a medidas provisórias no governo Lula. Os procuradores chegaram a pedir também a prisão preventiva do ex-ministro da Fazenda dos governos petistas Guido Mantega, mas o juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, Luiz Antonio Bonat, substituiu a cautelar pela imposição do uso de tornozeleira eletrônica.

Cerca de 40 Policiais Federais participam da ação e cumprem ainda 11 mandados de busca e apreensão em São Paulo e na Bahia. Foto: PF/Divulgação

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: