Operação Aplique da PF combate tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em salões de beleza

Operação Aplique da PF combate tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em salões de beleza

Agentes da Polícia Federal cumpriram nesta terça, 23, um total de 14 mandados de busca e apreensão em São Paulo e em Mato Grosso do Sul expedidos pela Justiça Federal; líder da organização, Luís Fernando de Moraes Araújo, o 'Boy', já está preso no Centro de Detenção Provisória de Guarulhos; foram bloqueados 6 imóveis, 8 carros e R$ 30 milhões em dinheiro

Pepita Ortega

23 de abril de 2019 | 09h21

Imóvel alvo de buscas na Operação Aplique. Foto: PF

Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, 23, a Operação Aplique, desarticulando organização criminosa especializada no tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

São cumpridos, em São Paulo e em Campo Grande (MS), 14 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal de São Paulo. Segundo a PF, o grupo lavava dinheiro do tráfico em salões de beleza de São Paulo e Osasco (Grande São Paulo).

Imóvel alvo de buscas na Operação Aplique. Foto: PF

Também foi determinada a prisão preventiva do líder da organização criminosa, pelo crime de lavagem de dinheiro. Luís Fernando de Moraes Araújo, o ‘Boy’, já está preso por tráfico de drogas no Centro de Detenção Provisória de Guarulhos.

A Justiça Federal também bloqueou R$ 30 milhões do grupo, com base na apuração da movimentação financeira da organização.

Imóvel alvo de buscas na Operação Aplique. Foto: PF

Conduzida na Superintendência de Polícia Federal em São Paulo, a investigação teve início em julho de 2017, com o monitoramento de um helicóptero utilizado nas operações de tráfico de entorpecentes.

Durante uma ação da PF, agentes aguardavam a aterrissagem do veículo em São Paulo quando surpreenderam integrantes da organização, que carregavam grande quantidade de dinheiro. Na ocasião o helicóptero não fez o pouso como previsto.

Imóvel alvo de buscas na Operação Aplique. Foto: PF

No dia seguinte, a Delegacia de Santos prendeu um integrante do grupo no Guarujá, no litoral de São Paulo, pela posse de 40 quilos de cocaína.

Segundo a PF, o líder da organização criminosa foi identificado e detido em outubro de 2018, no aeroporto de Guarulhos, quando coordenava o envio de 40 quilos de cocaína em bagagens com destino à Europa. Os entorpecentes foram apreendidos e os transportadores foram presos em flagrante.

Posteriormente, a Polícia Federal identificou pessoas físicas e jurídicas utilizadas para ocultar o dinheiro proveniente do tráfico internacional de drogas.. O grupo aliciava ‘mulas do tráfico’, para viagens ao exterior, inclusive Portugal e outros países da Europa.

Imóvel alvo de buscas na Operação Aplique. Foto: PF

Tendências: