Omissões podem levar operador do MDB de volta à prisão, diz Lava Jato

Omissões podem levar operador do MDB de volta à prisão, diz Lava Jato

Força-tarefa pediu ao juiz federal Sérgio Moro que abra prazo de dez dias para que Mário Miranda, denunciado por lavagem de dinheiro e associação criminosa, para esclarecimentos sobre contas no exterior; ele pagou fiança milionária, confessou crimes e foi solto

Luiz Vassallo

02 Julho 2018 | 05h00

Agentes na 51ª fase da Lava Jato, da qual Miranda foi alvo. FOTO: JOSE LUCENA/FUTURA PRESS-8/5/2018

A força-tarefa da Operação Lava Jato pediu ao juiz federal Sérgio Moro para que abra dez dias de prazo para o operador Mário Miranda prestar esclarecimentos sobre contas no exterior. Para os procuradores, a ‘ausência de postura colaborativa’ pode levá-lo de volta à prisão.

+++A investigação da Suíça que originou a 51.ª fase da Lava Jato e assombra o MDB

Miranda foi preso na Operação Dejà Vu, 51.ª etapa da Lava Jato, no dia 8 de maio. Essa investigação mira contrato da área Internacional da Petrobrás no valor de US$ 825 milhões que teria rendido propinas de US$ 40 milhões ao MDB, em suposto encontro entre delatores da Odebrecht, os ex-presidentes da Câmara Henrique Eduardo Alves e Eduardo Cunha e Temer, então candidato a vice-presidente, em 2010.

+++Dejà Vu age contra esquema de R$ 200 milhões e atinge o MDB

Após o pagamento de R$ 6 milhões de um total de R$ 10 milhões estipulados a título de fiança e confessar supostos crimes em depoimento, ele foi solto no dia 1 de junho. No dia 8, foi denunciado por lavagem de dinheiro e associação criminosa.

+++A Lava Jato 51 assombra o MDB de Temer

Atualmente, ele já depositou R$ 18 milhões na conta judicial de sua fiança. Sua defesa já havia avisado a Moro que repatriou US$ 7,2 milhões de contas no exterior, à disposição da Justiça. A Lava Jato quer que os R$ 8 milhões a mais depositados no fundo da fiança sejam transferidos a título de bloqueio, já que dele e outros investigados são cobrados R$ 136 milhões para reparação dos danos causados à Petrobrás.

+++Procuradoria alertou para ‘concreto risco de fuga’ de operador do MDB

Para os procuradores, no entanto, afirmam que ainda restam esclarecimentos não apresentados por Miranda sobre suas contas no exterior.

+++Repasses da Odebrecht para amigo e aliados de Temer saíram de aeroportos, diz PF

“A ocultação das contas bancárias mantidas em outros países que não a Suíça, além da não apresentação dos esclarecimentos anteriormente requeridos e de documentação apta a comprovar suas alegações acerca dessas contas-correntes indica ausência de postura colaborativa do investigado, reforçando os fundamentos da prisão preventiva anteriormente decretada por esse Juízo”, afirmam.

+++Tribunal de Lisboa determina extradição de Raul Schmidt para o Brasil, diz Procuradoria

“Considerando que tais fatos podem justificar nova decretação da prisão preventiva de MÁRIO MIRANDA, o Ministério Público Federal requer seja aberto prazo de 10 (dez) dias para que a defesa adimpla todas condições fixadas pelo Juízo como substitutivas à prisão preventiva, inclusive no tocante ao integral esclarecimento dos pontos expostos acima”, pede a força-tarefa.

COM A PALAVRA, A DEFESA

O advogado Antonio Figueiredo Basto, que defende Mário Miranda, afirmou que não vai se manifestar.

Mais conteúdo sobre:

operação Lava Jato