Olá!

Olá!

Ricardo Viveiros*

26 de março de 2021 | 16h40

FOTOS: ARQUIVO PESSOAL

Para quem como eu, na longa carreira de repórter jornalístico, viu muitas vezes a morte bem de perto, o valor da vida é inestimável.

Assim, desde março do ano passado, acreditei no perigo da COVID-19.

Não acreditei nas fakes e nas falsas mitigações do risco, e também nos medicamentos não comprovados cientificamente contra a cruel e traiçoeira enfermidade.

FOTOS: ARQUIVO PESSOAL

Optei pelas recomendações dos especialistas. E me mantive isolado e protegido.

Usei sempre água e sabonete. Usei álcool gel e máscara sempre.

Hoje, passado um ano, saudável tomei a primeira dose da vacina Coronavac.

Sem medo, sem fila, sem dor e em segurança. Muito bem atendido pelos profissionais de saúde pública, esses heróis do SUS.

FOTOS: ARQUIVO PESSOAL

Vacina, sim!

Porque a vida é uma dádiva a ser preservada.

*Ricardo Viveiros, jornalista, professor e escritor, é membro da Academia Paulista de Educação (APE), conselheiro da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da União Brasileira de Escritores (UBE), autor, entre outros livros, de A vila que descobriu o BrasilJustiça seja feita e O poeta e o passarinho

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.